Yves Saint Laurent é considerado por muitos críticos da moda como um dos maiores estilistas presente em todo o século XX. Foram suas tendências, cores e misturas quem ditaram o guarda-roupas da mulher contemporânea.

Através do seu requinte e bom gosto, passou a integrar um seleto grupo de designers franceses que atribuíram a Paris o título de Cidade da Moda mundial! Tudo isso sem falarmos que a Yves Saint Laurent se tornou um dos principais seguimentos da moda de alto luxo, sendo a primeira a trazer o estilo prêt-à-porter, reconhecido por todos devido a sua praticidade misturada a sofisticação da classe A.

A história de Yves Saint Laurent

Yves Henri Donat Mathieau – Saint Laurent, esse era seu nome completo, mas ganhou fama e notoriedade mundial apenas com três letras: YSL.

Ele é um verdadeiro sinônimo da alta costura, estando nos principais desfiles e trazendo as principais tendências do mundo da moda.

Esse mestre da alta costura nasceu em 1º de agosto de 1936, numa pacata cidadezinha litorânea chamada Ora, na Argélia que naquela época era uma colônia francesa. Seu verdadeiro amor pela costura nasceu quando ele ainda era criança, quando começou a desenvolver bonecas de papel que vinham com detalhes complexos e completos.

Quando mais jovem, Yves gostava de desenhar os vestidos que suas irmãs e sua mãe iriam vestir, demonstrando desde sempre o seu real talento inato para a costura. Quando completou 17 anos de idade, estava estudando no colégio École de la Chambre Syndicale de la Haute Couture, um dos mais tradicionais colégios franceses.

École de la Chambre Syndicale de la Haute Couture
École de la Chambre Syndicale de la Haute Couture

No ano de 1954, através de um concurso que tinha a International Wool Secretariat como principal patrocinadora, ele recebeu o prêmio de melhor vestido para coquetel. É lógico que uma premiação dessa não iria passar batido dos principais centros de moda!

Pouco tempo depois, Yves fora chamado para trabalhar na Dior, na função de assistente de modelagem. Durante o primeiro ano em que ele esteve lá, realizava tarefas muito básicas e simples, como desenhar os acessórios ou desenhar a decoração do estúdio.

Contudo, algumas vezes, ele tinha autorização para poder apresentar alguns de seus croquis na coleção da alta-costura. Cada vez que uma temporada começava, mais e mais modelagens eram recepcionadas pela Dior e acabavam sendo utilizadas pelas modelos, ganhando os corações da crítica local.

Morte de Christian Dior e o surgimento de um mito

Em 1957, Christian Dior veio a falecer. Foi então que Yves recebeu o convite (e também o desafio) de salvar uma das mais famosas grifes já conhecidas da ruína e da falência.

YSL em frente a Dior
YSL em frente a Dior

As coleções trazidas por ele em frente a Dior eram consideradas, por muitos, um tanto controvérsias. Isso porque os clientes da Dior não estavam esperando suas criações e muito menos a ousadia com que ele tratou a Maison.

E é impossível citarmos esse momento da história sem falarmos do célebre vestido Trapézio, desenhado e costurado no desfile de 1958. Ele era considerado uma roupa de “menina-moça”.

Em seu desenho, víamos um ombro mais estreito  com um corpete semi-ajustado de saia curta, com evasê e que rapidamente subiu à cabeça das mulheres, tornando-se sinônimo de qualidade e sofisticação.

Vestido trapézio
Vestido trapézio

Para que você consiga dimensionar o tamanho do impacto que o vestido trapézio teve na época, ele ganhou o prêmio Neiman Marcus, premiação esta que é dada apenas as maiores contribuições que já foram feitas dentro do universo da moda.

Posteriormente, em 1959, uma nova versão fora recriada com a saia um pouco mais curta e entravada. Em 1960, ganharam destaque as famosas jaquetas de couro preto, as bainhas adornadas de pele e também os suéteres de gola rolê.

Só para que você consiga entender o furor que foi maquela época as criações deste estilista francês, basta ler a capa da de um dos principais jornais de Paris, que trazia o seguinte escrito:

Yves Saint Laurent salvou a França

Fazendo uma alusão a sua contribuição à moda com o lançamento do vestido trapézio.

O público enlouquecera ao observar que as roupas que se andavam no dia a dia estavam ganhando novas releituras nas mães do francês. Parecia que tudo iria muito bem, de vento em polpa! A Dior estava nas alturas, sendo considerada uma das Maison mais respeitadas da época com seus lançamentos.

O recrutamento de Yves Saint Laurent

Mas nem tudo o que é bom dura o tempo que tem que durar, não é verdade? Em pleno auge de sua carreira como diretor de arte da Dior, Yves recebeu uma convocação para servir ao exército francês durante a Guerra da Independência da Argélia no ano de 1960.

Tendo passado pouco tempo depois disto, Yves solicitou baixa por motivos de saúde, já que ele tinha sido ferido ao ser protagonista de um trote. Assim, acabou voltando para Paris e quando cá estava, descobriu que a Maison estava aos cuidados de Marc Bohan.

Loja YSL
Loja YSL

E foi nesse momento que a história da marca Yves Saint Laurent toma outro rumo e nasce, de fato, como Maison. Contando com a ajuda financeira de seu eterno amigo Pierre Bergé, Yves resolve fundar a sua própria Maison. Então, aos 4 de de dezembro de 1961 nascia, efetivamente, a Yves Saint Lauren, com a inauguração de sua primeiro ateliê, localizado na Rua Spontini, Paris.

Devemos marcar muito bem essa importante data! Começa aqui, o recomeço de uma nova era, tanto para a história da maison quanto para a história da moda mundial!

A primeira coleção da Maison Yves Saint Laurent

Assim que Yves abriu seu ateliê, o furor da cidade já foi a sua procura. Sua primeira coleção oficial aconteceu em 29 de janeiro de 1962, em um memorável desfile onde lançou uma poderosa japona de lã na cor azul-marinho que vinham com belíssimos botões dourados.

Desfile YSL
Desfile YSL

Também havia batas de trabalhadores trabalhadas em jérsei, em cetim e até mesmo em seda. Desde sempre, a modernidade sempre guiou seus conceitos e suas coleções.

Atuando como um verdadeiro visionário, Yves passou a lançar coleções de roupas e peças isoladas que as pessoas não estavam acostumadas a ver no mercado da moda: roupas bastante práticas, porém que vinham com uma linha sofisticada e elitista. Era reunir o útil ao agradável.

YSL e a moda internacional

O mais impressionante ao pegar a história da marca Ives Saint Laurent é observar o quanto ele inovou em coisas simples, fazendo-as estar presentes até nos dias de hoje! Quer um exemplo? Sabe as Botas de Cano Longo (aquelas que vão até as coxas)? Pois bem, ela fora uma criação da YSL em 1963.

O sucesso foi tanto que foi rapidamente copiada por outras Maison (além de se tornar um artigo atemporal, tanto que é amplamente utilizada até os dias de hoje).

Em 1965, passou a utilizar detalhes da arte tradicional à sua composição, como nos vestidos Mondrian, feitos em jérsei branco e que tinham silhuetas mais retas, ornando perfeitamente com linhas verticais e horizontais no tom preto, abrindo espaços também para cores primárias, feitas em homenagem ao mestre cubista holandês.

YSL Vestido Mondrian
YSL Vestido Mondrian

Posteriormente a isso, em 1966, lançou o smoking feminino (que diga-se por passagem, foi uma das suas maiores inovações)! Para quem não teve a oportunidade de ver um pessoalmente, ele era composto por uma blusa transparente e uma calça masculina. Yves trouxe para a passarela uma discussão social e pôde debatê-la de forma elegante e sofisticada. Vale lembrar que naquela época, não era comum que as mulheres vestissem calças. Inclusive, alguns estabelecimentos proibiam a entrada e a permanência de mulheres que estavam trajadas dessa forma.

No ano de 1967, chegou a hora dos Knickers de veludo, um dos principais lançamentos da sua coleção nessa fase. No ano que se seguiu, ele apresentou para a sociedade as blusas transparentes e claro, a clássica Saharienne, uma jaqueta que vinha no estilo safári.

Em 1969 foi o terninho feminino e em 1971, as mulheres ganharam um destaque no blazer. Podemos ver que Yves gostava de tocar em pontos sociais fortes e levá-los para um debate mais frente a frente, na questão de igualdade de gênero, principalmente. Vale lembrar que muitas das conquistas em termos de roupas, que as mulheres tem nos dias de hoje, foram graças a medidas que ele tomou lá atrás, por exemplo, ao confeccionar o terninho feminino.

Feminismo através de YSL
Feminismo através de YSL

Durante o decorrer da década de 70, não se falava de outro assunto, outra temática que a não fosse ele. Afinal de contas, devemos sempre entender o seu jeito provocativo nas coleções, sempre favorecendo a emancipação feminina em busca de liberdade de manifestação, principalmente naquela época, onde tudo era muito velado.

Em 1976, Yves lançou uma de suas coleções mais memoráveis que recebeu, na época, o apelido carinhoso de Cossaca e Russa, que trouxe em sua essência roupas camponesas num estilo mais exótico. As saias trazidas pela coleção eram mais longas e bastante rodada, vindo juntamente com corpetes e botas que exerciam uma influência bastante forte, tudo isso sem nos esquecermos dos lenços e dos xales que se tornaram verdadeiras obras de arte no desfile!

Na década de 80, ele resolveu homenagear pessoas como Marcel Proust e Catherine Deneuve (que era sua amiga pessoal e também uma espécie de embaixatriz da marca). Outro detalhe que faz parte da história da Maison é, justamente, a sigla YSL, que com o passar dos anos, fora considerada como sinônimo de sofisticação, elegância, passando a ser impressa, inclusive, como etiqueta de seus produtos como bolsas, perfumes, roupas, óculos e chapéus.

Chapéus YSL
Chapéus YSL

A partir desse momento, ficava muito mais fácil saber quem estava dentro do Universo Yves Saint Laurent, justamente pela exibição de sua sigla marcante. Até os dias de hoje, podemos dizer que ela ainda significa ascensão e faz parte do guarda-roupas de poucas pessoas.

Enquanto isso, no ano de 1985, Yves recebeu uma condecoração pelo presidente francês da época, François Miterrand com honra ao mérito, ganhando o Oscar da Moda. No ano de 1998, ele também ganhou um desfile-retrospectiva no campo de futebol! E mais: esse desfile aconteceu antes que ocorresse a final da Copa do Mundo da França! Se isso não é ser reconhecido, eu não sei mais o que possa ser.

Além deste feito memorável, toda a equipe francesa tinha um guarda-roupas assinado por ele, Yves Saint Laurent.

A venda da YSL

Com tantas histórias para contar e ensinar ao mundo, com tanta revolução por detrás das suas peças de roupas, depois de muitos anos de estrada, em 199 ela foi adquiria pela gigante PPR Group- Pinault Printemps Redoute.

Ela é, simplesmente, o terceiro maior conglomerado de marcas de luxo do mundo! Outras marcas famosas e renomadas no mercado fazem parte desse seleto grupo são: Bottega Venete, Gucci e Balengiaga.

Posteriormente, em outubro de 2000, Alber Elbaz pediu demissão e assim, deixou de assinar a coleção prêt-à-porter, sendo que o controle fora assumido por Tom Ford, que aquela época também era o designer responsável pela Gucci.

A grande despedida

Como todos nós sabemos, a hora de parar chega para todos nós. Com Yves, não foi nem um pouquinho diferente. O Adeus das passarelas foi celebrado com muito luxo e sofisticação para combinar com os anos de história da marca.

Despedida YSL
Despedida YSL

No dia 22 de janeiro de 2002, após conseguir lançar 70 coleção para o mundo da alta costura, registrando em seu currículo mais de 200 desfiles internacionais, Ives deu adeus, finalmente, ao mundo da moda.

Ele apresentou um desfile poderoso no Centro Georges Pompidou fazendo uma retrospectiva de seus 40 anos de criação e em frente à marca que lançou ao mundo com tanto carinho e dedicação.

A marca mais presente nesse grande desfile foi, sem a menos dúvida, o YSL, sendo que está ficou pelos anos e é, ainda hoje, o maior sinônimo da alta-costura mundial. Quando o desfile acabara, sua embaixatriz e melhor amiga Catherine Deneuve contou “Ma plus belle historie d’amour” e aos sons de altos aplausos e em meio a lágrimas, deu seu adeus final ao público que tanto cativara.

Nesse desfile, estavam presentes muitas mulheres poderosas, já que ele era amigo íntimo de muitas delas, como Diane von Furstenberg, Loulou de la Faise, e claro, Catherine Deneuve. A marca que Yves conseguiu construir ao longo da história permanece viva até hoje, mesmo que ele não esteja mais à frente de suas criações. A identidade foi mantida, tanto é que é uma das marcas mais desejadas e cobiçadas do mundo todo!

Depois desse adeus glamouroso, como tinha que ser, Yves se aposentou e se tornou cada dia mais recluso, se limitando a poucos. Decidiu mudar-se para Marrocos. Fora diagnosticado com câncer cerebral e morreu aos 71 anos de idade em Paris, na cidade Luz, no dia 01 de junho de 2008.

A continuação de um legado

Mesmo após seu afastamento das passarelas, a marca não deixou de seguir a origem que trouxe a YSL até os dias de hoje. Quem assumiu a liderança fora ninguém menos que Stefano Pilati, um estilista renomado italiano.

Em 2008, muitas mudanças começaram a acontecer na Ives Saint Laurent, mudanças, digamos, profundas. Depois do recrutamento de Hedi Slimane (que é ex-estilista das principais coleções de roupas masculinas da Dior) para diretor artísticos, a marca convocou a impressa para comunicar que ao invés de ser chamadas de Yves Saint Laurent, nome este internamente ligado àquele que lhe deu origem, passaria apenas a se chamar Saint Laurent Paris.

Alguns profissionais e impressa na época acreditaram que com a retirada do nome do fundador, a marca perderia bastante da sua originalidade e do seu senso crítico. Contudo, para sua fiel clientela que o acompanha há mais de anos, a YSL continua um sinônimo de elegância, charme e sofisticação.

Hedi e a polêmica em torno da YSL

Desde que assumira a direção de artes, ele nunca escondeu o seu verdadeiro desejo: repaginar a marca YSL, deixando-a mais jovial e atrativa. E não falamos nisso apenas quando dizemos a troca do nome, não!

Hedi Slimane
Hedi Slimane

Hedi também fez algumas mudanças bastante drásticas que vão desde o próprio nome da marca até a relocação do famoso ateliê em Paris. Assim sendo, mudou-se oficialmente para Los Angeles, através de uma parceria com a Sky Ferreira, que passou a assinar uma coleção-cápsula para a presente marca.

O museu da moda

Como sabemos, os museus para exposição de suas obras de artes são sinônimos experimentados por muitas maisons. O que poucos sabem é que essa história começou através de Yves Saint Laurent, ainda em 1986.

Ele fora o primeiro artista e exibir de forma popular seus trabalhos num museu- o Louvre. Isso serviria apenas como uma amostra de tudo o que estaria por vir.

Museu YSL
Museu YSL

No ano de 2002, com a sua despedida, também foi um ano de renascimento! Ele inaugurou o primeiro museu do mundo que era destinado a exposição de um único artista de moda! Assim nasceu a Fundação Pierre Bergé- Yves Saint Laurent.

É presença obrigatória para quem vai à Paris, beber diretamente da fonte de suas culturas. Para quem ainda não teve oportunidade de conhecer, o mesmo está a meia hora do centro da capital Francesa e conta com um poderoso acervo de mais de 5 mil peças de vestuário, 10 mil exemplares de joias, 2 mil pares de sapatos e centenas de chapéus que serviram de inspiração para uma mente tão brilhante.

Lá você encontra coleções desde o início de sua carreira, quando ele ainda não tinha fundado sua própria marca e trabalhava na Dior, como assistente de Criação.

O ícone por trás da marca

Seria, senão, uma tolice sem tamanho dizer que Yves Saint Laurent fora apenas um estilista que se destacou em sua época. Ele fora muito mais que isso: ele foi uma das maiores figuras do mundo da moda!

Com o seu jeito e o seu pensamento, ele consegui transgredir com classe, revolucionando a costura sem deixar que essas perdessem suas referências de origem; manteve-se fiel ao seu próprio e as suas ideias, tanto que conseguimos ver isso em cada corte, cada traço, cada detalhe muito bem planejado de suas ações.

Um gênio
Um gênio

Conseguiu fazer com que a sua marca estivesse entre as mais cobiçadas do mundo, entre as mais desejadas, as mais faladas, tudo isso sem perder sua essência. Chegou a criar inúmeras coleções, sapatos, chapéus, vestidos, perfumes… Estava sem a par de tudo o que acontecia.

Lutava pela moda, por uma geração mais consciência e livre
Lutava pela moda, por uma geração mais consciência e livre

Foi através dele que conseguimos introduzir muitos conceitos na moda, conceitos estes que estão presentes até nos dias de hoje, como a minissaia e a transparência. Fora ele também o responsável pela criação do vestido de noiva, introduziu pela primeira vez, uma modelo negra na passarela e muitas outras propostas inovadoras que o elevou num patamar que jamais, outra pessoa, conseguirá chegar.

A Linha do tempo de Yves Saint Laurent

  • 1936: Nasce Yves Saint Laurent.
  • 1954: Ganha premiação com apoio internacional, o que chama a atenção para o seu talento na costura.
  • 1957: Depois de estagiar na Dior, após o falecimento de seu dono, Yves recebe convite para ser o diretor da marca. NEsse momento, eleva o conceito de luxo e sofisticação.
  • 1958: Lançamento oficial no desfile do seu tradicional vestido trapézio.
  • 1960: Destaca-se em suas coleções, as minissaias, as jaquetas de couro e o posicionamento que a mulher tem perante a sociedade.
  • 1961: Após ser recrutado para a guerra e voltar devido aos ferimentos, Yves abre sua própria maison. Aqui, nasce, efetivamente, a Yves Saint Laurent.
  • 1962: Fora o responsável pela elaboração do figurino de Claudia Cardinale no famoso filme de A pantera cor de rosa, de Blake Edwards.
  • 1964: Lançamento oficial do seu primeiro perfume com o nome de Y.
  • 1966: Inauguração oficial da primeira Boutique Saint Laurent Rive Gauche. Para se ter ideia da dimensão, fora marcada como acontecimento histórico, sendo que o próprio estilista está lá, pessoalmente, para receber seus convidados (pessoas do alto calão da burguesia francesa). Também foi nesse ano que nasceu a coleção prêt-à-porter. E por fim, lançou uma coleção com inspiração africana.
  • 1968: Inauguração oficial da boutique Yves Saint Laurent Rive Gauche na Madison Avenue, em NY. Uma multidão estava nas portas assim que fora abertas, recheadas de muita celebridade e paparazzi.
  • 1969: Neste ano, fora inaugurada a primeira boutique destinadas apenas ao público masculino, a Rive Gauche Homme.
  • 1971: Lançamento oficial da coleção retrô 40 anos. Para o lançamento oficial do perfume YSL Pour Homme, Yves pousou nu e fora fotografado por Jeanloup Sieff.
  • 1976: Lançamento que teve sua inspiração diretamente ligada aos balés russos.
  • 1977: Lançamento oficial do perfume Opium. A campanha publicitário fora clicada por Helmut Newton e teve como estrela principal, Jerry Hall (que é a ex-esposa de Mick Jagger). Para se ter uma ideia do quanto esse perfume mexeu com os ânimos da galera, o slogan da campanha era “Opium, para aqueles que são viciados em Yves Saint Laurent”. NA mesma hora, os mais conservadores e a opinião público caíram em cima da marca, alegando que ela estava fazendo apologia ao uso de drogas. Com suas opiniões ou não, a verdade é que o mesmo foi um verdadeiro sucesso de vendas!
  • 1978: Criação do Yves Saint Laurent Beauté e começa aqui a inserção da marca para o mundo dos cosméticos e das maquiagens. A linha que fora lançada pela primeira vez trazia o slogan de “Yves Saint Lauren gives a face to the woman he dresses” (Em tradução livre, quer dizer “Yves Saint Laurent dá o rosto para a mulher que ele veste”).
  • 1981: Lançamento oficial do perfume Kouros.
  • 1983: Lançamento oficial do perfume Paris, que fora um dos mais vendidos (e é, um dos mais vendidos da marca até os dias de hoje).
  • 1989: Lançamento oficial do perfume Jazz.
  • 1992: Lançamento da Touche Eclat. Para quem ainda não viu essa sétima maravilha do universo, ela é um corretivo em caneta que ilumina e também disfarça (perfeitamente) as imperfeições que todos nós temos na pele. Ele vem numa embalagem sofisticada, em dourado e promete o verdadeiro milagre no rosto de qualquer pessoa. Até os dias de hoje, desde o seu lançamento, é um dos produtos mais vendidos, estando sempre entre os Top 10. Estima-se que a cada 20 segundos, uma caneta dessas é comercializada em algum lugar do mundo.
  • 1993: Lançamento oficial do perfume Champagne.
  • 2007: Lançamento oficial do perfile Elle.
  • 2009: Lançamento oficial do perfume Parisienne, que tinha como garota propaganda a Kate Moss. O objetivo desse lançamento era tornar este perfume como o segundo maior campeão de vendas, estando atrás apenas do tradicionais Opium.
  • 2012: Lançamento oficial da Saint Laurente Vermeil, que é uma linha de joias destinada ao público masculino, onde suas peças possuem um estilo mais minimalista, tendo as linhas mais retas e ovais, expressando o espírito da joalheria parisiense. Também foi aqui que fora lançado o perfume Manifesto Yves Saint Laurent, que vem com notas florais. Quem deu o seu rosto para estrelas essa campanha fora a atriz Jessica Chastain
  • 2013: Inaugurou no dia 09 de maior a maior Flagship (loja âncora) da grife! Ao todo, a loja possui 900m² recheados de puro luxo! A decoração ficou por conta da Art Déco. A boutique na qual estamos nos referindo está de portas abertas na Avenue Montaigne.

A marca ao redor do mundo

Como nós dissemos acima, a marca não parou, mesmo após a morte de seu fundador. Um dos principais planos do conglomerado que a adquiriu é a internacionalização desta. Por isso, a Saint Laurent Paris possui mais de 90 lojas sofisticadas e especializadas em atender adequadamente o seu público.

Nelas é possível que você encontre chapéus, vestidos, joias, óculos, roupas, perfumes e tudo mais que esteja inserido dentro do universo YSL. A maior parte do faturamento da marca se dá através dos calçados e dos artigos que tem sua origem no couro.

Você sabia?

  • Yves Saint Laurent fora o primeiro estilista no mundo todo a usar manequins negras em seus desfiles, compondo suas coleções.
  • No ano de 1983, ele fora o primeiro estilista vivo a receber uma homenagem especial no MoMa (Metropolitan Museum of Art), na cidade de Nova York.

6 COMMENTS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here