Self-Portrait – A marca Britânica de vestidos mais querida do momento

Banner Principal Self-Portrait com modelos usando vestidos da marca
  Campanha Credit Month do mês de Agosto de 2019 do Etiqueta Única.  

Inspirado a criar coleções especiais e ainda assim acessíveis, o designer nascido na Malásia e aluno de uma das mais importantes faculdades de moda do mundo, a Central Saint Martins, Han Chong fundou a marca Self-Portrait em 2013.

Com a mulher contemporânea como referência, a marca traz elementos do estilo clássico e do ousado, abusando de rendas guipir e modelagens que valorizam o corpo feminino.

A modelagem tradicional é reinterpretada com detalhes elaborados e elementos como tecidos delicados, acabamentos transparentes e aplicações trabalhadas.

A marca que tem como principal objetivo se manter democrática, trabalha com uma equipe de profissionais escolhidos por Hang Chong e, por isso, consegue manter um preço mais acessível para suas clientes, com vestidos que variam entre £180 e £500 libras (R$ 890,00 e R$2500).

“Se as peças forem muito caras, acaba com a diversão. Eu quero criar roupas que façam as mulheres sentirem que são especiais. Elas vão gostar de saber que compraram algo único sem quebrar sua conta bancária.”

Self-Portrait – A marca de contrastes

Com o aumento de 70% no último ano e mesmo crescimento esperado nos próximos cinco anos, a marca ganhou fãs com os maiores nomes da moda e entretenimento.

"Reese

Os vestidos que o designer de 38 anos cria, já foram usados por celebridades como Reese Witherspoon, Beyoncé e Kristen Stewart, mas suas criações podem ser vistos por aí de outra forma. Com preços mais justos, é possível que os modelos sejam usados num casamento ou em alguma festa por pessoas comuns.

Desde que foi fundada em 2013, Hang Chong traz em todas as estações releituras da sua assinatura, a renda guipir, com novas formas, modelagens, cores e texturas. Um dos seus modelos mais conhecidos e populares, o vestido Azaelea, esgotou em 24 horas no site Matches Fashion.

(Jessica Lowndes, Miranda Kerr, Tika Sumpter, Abigail Spencer e Maisie Williams usando o vestido Azaelea)
(Jessica Lowndes, Miranda Kerr, Tika Sumpter, Abigail Spencer e Maisie Williams usando o vestido Azaelea)

“Beleza não deve ser uma opção somente para alguns privilegiados…” Han Chong

A trajetória de Han Chong

"Han

O designer Han Chong de 38 anos que tem como sede seu estúdio em Shoreditch, Londres, possui uma personalidade oposta de seus vestidos que fazem qualquer mulher se destacar. O jovem introvertido, quando estudava na Central Saint Martins costumava ir a lojas de luxo, mas não podia comprar nada. Por isso a decisão de manter suas criações a um preço razoável e acessível.

“Não sinto que a maioria das mulheres possa ou queira usar um vestido de € 2.000 quando vai sair à noite. Há tanta coisa acontecendo no mundo. Vivemos num tempo cru e esse preço não parece ligado à realidade.”

Apesar de suas coleções cheias de detalhes e bastante meticulosas, Han cresceu em um ambiente não ligado a moda. Nascido em Penang, no noroeste da Malásia, Han vivia com os pais e oito tias. “Na Malásia é tudo muito casual e está sempre muito calor, por isso todo mundo usa somente camisetas e shorts.”

Foram suas tias as responsáveis pela sua primeira ligação a moda. “Nos casamentos toda mundo se esforçava, com peças muito coloridas e apropriadas à ocasião. Esse momento dava-lhes poder. Foi assim que percebi que a moda tem o poder de criar confiança.”

Cursando artes na Malásia, conheceu o professor Jing Ooi, formado pela Central Saint Martins e que trabalhou para Versace, John Galliano e Alexander McQueen. Para um menino que veio de uma vila sem muitas referências de moda, ao conhecer Jing e suas aulas que aquela sensação intrigante em relação às roupas de festa das suas tias se converteu num objetivo: trabalhar em moda.

 

Han mudou-se para Londres, arranjou um emprego em uma alfaiataria local e trocou de curso, indo para a Central Saint Martins. Agora sua inspiração não eram mais suas tias, mas sim os looks ousados e cheios de personalidade. “Podias ver designers e drag queens a festejar sob o mesmo teto. Era tão inspirador.” O estudante fazia roupas e vendia aos seus amigos. Estudantes ricos pagavam para que Han fizesse seus trabalhos.

Após se formar, Han trabalhou para algumas marcas pequenas e para o fast fashion na Topshop Foi aí que o designer aprendeu como eram os negócios na moda. “Trabalhávamos para  um público tão vasto que, quando desenhávamos, tínhamos que pensar o que as pessoas queriam e o que lhes caia bem. Criamos para muitas mulheres e isso me fez valorizar a inclusão.”

Ainda antes de criar a Self-Portrait, em 2013, o designer teve um plataforma em sociedade com uma amiga da Topshop, a Three Floor por dois anos.  

 

Hang Chong em sua primeira loja em Londres.
Hang Chong em sua primeira loja em Londres.

Com sua primeira loja em Londres feita por Casper Mueller Kneer, o arquiteto responsável por várias lojas da Céline, Han não podia estar mais entusiasmado em aproximar a Self-Portrait do público. “As pessoas vão poder ver o que a marca representa, e as roupas não custam uma fortuna, o que torna a experiência ainda mais divertida.”

Hang Chong em cada passo da sua trajetória mantém seu propósito inalterado: “Faço isto porque me importo com aquilo que as mulheres sentem. Elas podem ser poderosas. Podem ser sensíveis, fortes, sexy, ou invencíveis. Podem ser tudo aquilo que quiserem. “

Hannah Ware, Zelda Williams, Han Chong, Janie Bryant, Ruth Kearney, Aurora Perrineau em desfile da marca.
(Hannah Ware, Zelda Williams, Han Chong, Janie Bryant, Ruth Kearney, Aurora Perrineau em desfile da marca.)

A descoberta da realeza

A marca ganhou notoriedade quando foi usada em 2016 por Kate Middleton na premiere de “A Streetcat Named Bob.” A Duquesa de Cambridge escolheu um modelo longo, com busto em renda e saia com caimento leve com ampla fenda.

Kate Middleton usando modelo longo em renda branca na premiere de "A Streetcat Named Bob."
Kate Middleton usando modelo longo em renda branca na premiere de “A Streetcat Named Bob.”

Desde então, a marca pode ser vista em eventos recentes da realeza, com Meghan Markle . A Duquesa de Susex usou um modelo fluido e com estampa floral em tons de preto, branco e verde ainda disponível no site da marca por 300,00 libras, cerca de 1500 reais.

Meghan Markle usando modelo verde com estampa floral em comprimento midi da marca.
Meghan Markle usando modelo verde com estampa floral em comprimento midi da marca.

Em outro evento, Meghan Markle, escolheu um vestido vermelho com bordados discretos no busto e cintura, drapeados na saia e de comprimento midi.  O modelo também esta disponível para compra no site da marca por 380 libras, cerca de 1900 reais.

Meghan Markle em vestido vermelho midi com detalhes bordados.
Meghan Markle em vestido vermelho midi com detalhes bordados.

Blogueiras e a renda Guipir

Com a ascensão da marca, a renda caiu nas graças das blogueiras Brasileiras mais antenadas na moda. Vic Ceridono, Camila Coutinho e Thassia Naves foram vistas usando diferentes modelos da marca.

A blogueira de moda e beleza, Camila Coelho é vista inclusive no instagram da marca.

Chiara Ferragni, influenciadora conhecida internacionalmente, também já foi vista usado vestidos da marca. O escolhido da italiana foi um modelo midi com busto vazado todo em renda com detalhe evasê na barra.

"Chiara

The Bridal Dresses Collection

A marca, conta também com uma coleção especial de noivas, combinando tradição com detalhes contemporâneos, oferecendo um estética alternativa para noivas modernas.

The Bridal Collection, coleção de vestidos de noiva da marca em seda, organza e renda guipir.
The Bridal Collection, coleção de vestidos de noiva da marca em seda, organza e renda guipir.

No Etiqueta Única, você encontra vestidos da marca Self-Portrait que vão do longo em tricô ao curto em renda e tule.

  Campanha Credit Month do mês de Agosto de 2019 do Etiqueta Única.  

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here