Salvatore Ferragamo
Salvatore Ferragamo

Salvatore Ferragamo foi um verdadeiro artista que seguia em harmonia com a cultura do tempo em que vivia. Atribuiu todo o seu talento em sapatos, afinal como ele mesmo dizia, um pé bem calçado vale mais do que mil palavras.

Mas além de sapatos, o artista investiu também em acessórios e perfumes que ganharam destaque na marca italiana. Atualmente, Salvatore Ferragamo já falecido, detém um nome de muito sucesso no mercado internacional da alta costura.

A história de Salvatore Ferragamo

O estilista nasceu em Bonito, um vilarejo localizado no interior da Campania, na Itália, no dia 5 de junho de 1898. Desde muito pequeno o menino demonstrava ter um grande talento: o de fazer sapatos. Em certo momento da sua vida, viu sua irmã chorar por não ter sapatos brancos para calçar na primeira comunhão e para surpresa da família, decidiu criar ele mesmo um modelo.

O estilista se tornou famosos pela sua criação
O estilista se tornou famosos pela sua criação

Foi aprendiz de sapateiro aos 11 anos junto com Luigi Festa, que foi o seu mestre e ensinou tudo sobre a profissão. Quando completou 13 anos, abriu uma simples sapataria localizada em sua cidade, onde se permitiu ir além de confeccionar botas para fazendeiros e reparos de sapatos, criando modelos exclusivos. Passou a lançar moda para os pés femininos.

A mente visionária

Com uma mente visionária desde muito novo, escolheu um dia estratégico para a inauguração da sua pequena empresa, que se localizava, especialmente, em frente à igreja local. Logo após a missa, os fiéis curiosos se aproximaram da loja e o resultado não poderia ser outro além um grande sucesso, mesmo com algumas piadas referente a idade do artista.

Aos 14 anos, Salvatore já contava com seis assistentes em sua loja e já conquistava o coração de clientes das cidades vizinhas. Foi nesse momento que percebeu que poderia ultrapassar limites e ampliar seus horizontes. Atrás de novos desafios, o jovem viajou rumo aos Estados Unidos para se unir aos irmãos mais velhos e estabelecer novas metas.

Em pouco tempo, tornou-se inspiração das celebridades
Em pouco tempo, tornou-se inspiração das celebridades

Foi decepcionante para Salvatore quando chegou em Boston e se deparou com a péssima qualidade dos sapatos que eram produzidos nas fábricas que seus irmãos faziam parte. Foi então que o jovem design foi a procura dos outros parentes da família que viviam na Califórnia, mais especificamente em Santa Bárbara, que ficava perto dos estúdios de cinema.

Os sapatos sob uma nova ótica

E a partir desse momento Salvatore inaugurou uma loja para reparos e confecção de sapatos. Com o tempo, começou a produzir modelos para compor os figurinos de cinema e, consequentemente, passou a ter encomendas de sapatos feitos sob medida para celebridades como Greta Garbo, Marlene Dietrich, Sophia Loren, Marilyn Monroe e Ava Gardner.

Salvatore tornou-se disputado entre famosas
Salvatore tornou-se disputado entre famosas

Enquanto procurava por fórmulas de criar sapatos que se encaixassem perfeitamente, frequentou a Universidade de Los Angeles e estudou matemática, engenharia química e anatomia humana. Logo após, o design se viu obrigado a se transferir Hollywood por causa de seus clientes que estavam crescendo.

Foi então que inaugurou em 1923 a renomada Hollywood Boot Shop e começou a criar modelos para produções importantes do cinema, como no famoso “Os Dez Mandamentos”.

As personalidades do cinema

Salvatore Ferragamo calçou os personagens mais ilustres do cinema e que por consequência se tornaram seus clientes. Ganhou apelidos carinhosos como o “sapateiro dos sonhos’’ ou “sapateiro das estrelas”.

Salvatore tornou-se sinônimo de beleza
Salvatore tornou-se sinônimo de beleza

O sucesso foi tão grande e imediato que a pequena empresa não estava dando conta da demanda de encomendas e a mão de obra americana não conseguia produzir os produtos com a mesma qualidade que o design desejava e necessitava.

Em 1927, Salvatore Ferragamo tomou a decisão de voltar para a Itália, na Florença, uma cidade que é reconhecida por seu trabalho em couro e o rico artesanato. Ele fundou uma simples fábrica com 60 artesãos especializados diretamente pelo o próprio design para que todos os sapatos sejam confeccionados à mão.

Fábrica de Salvatore
Fábrica de Salvatore

Em seguida ele abriu uma loja no Palácio Spini Feroni e foi nesse local que o sonho de Salvatore começou a se tornar realidade. A pequena empresa se transformou em uma grande produção de sapatos, chegando a fabricar 350 modelos por dia.

O reconhecimento do modelo feito à mão

O reconhecimento por seus calçados, que eram prestigiados desde a beleza até o conforto e qualidade, contava com a refinada elaboração. Sua fama cresceu por toda Itália e na Europa, transformando a sua loja Palácio Spini Feroni, em um ponto de referência da alta costura e o lugar escolhido por atores de cinema internacionalmente.

Nas telonas, seus sapatos ganhavam vida
Nas telonas, seus sapatos ganhavam vida

Mas como o design não cansava de inovar, foi em 1930 e 1940 que Salvatore Ferragamo mostrou o seu verdadeiro dom de criar, desenhando e elaborando modelos de sapatos com novos materiais, como a cortiça e o celofane, sem deixar de dar créditos à escassez do couro que predominou no mercado durante a época.

Durante a crise que ocorreu na Europa, Salvatore passou a usar materiais mais baratos para a produção, como a palha, cânhamo e os materiais sintéticos. E um ícone inovador foi a palmilha compensada.

Seus sapatos caiam feito uma luva
Seus sapatos caiam feito uma luva

O design ficou reconhecido por não apreciar produções em série, pois acreditava no conceito de que cada par de sapatos deveria ser desenhado e confeccionado com atenção e em detalhes.

Sempre buscou o conforto, porque suas criações além de muito bonitas, eram também anatômicas. Nesse segmento, Salvatore Ferragamo inovou criando novas formas, se baseando nas necessidades estéticas e funcionais, como em 1937 com o solado inclinado de cortiça, produzido para dar ao usuário maior estabilidade.

As inovações do artista

O famoso salto Anabela é uma das provas das suas criações de 1938. A criação aconteceu porque durante o período fascista ele não conseguiu importar o metal que tinha parte necessária para o conforto dos calçados e que davam a sustentabilidade à curva do pé.

Salvatore introduziu ao mercado o salto Anabela
Salvatore introduziu ao mercado o salto Anabela

Foi quando surgiu a ideia de fechar completamente o salto, se encontrando o salto com a parte da frente do calçado. Assim que nasceu o salto Anabela. O design utilizou uma espécie de material específico da Itália chamado de cortiça da Sardenha, que ao mesmo tempo era leve e resistente.

No começo do lançamento a novidade não foi aceita facilmente pelo público feminino, mas logo se transformou em um grande sucesso.

Seus sapatos viraram lendas
Seus sapatos viraram lendas

Salvatore Ferragamo sempre esteve muito atualizado e antenado no mundo contemporâneo e sempre teve interesse em áreas da arquitetura, design e artes.

Um dos exemplos, é a criação de 1939, um salto alto em mosaicos, que traz a referência da arquitetura usada no interior dos edifícios da década.

Ousadia nas cores

Uma característica que sempre remeteu a marca foi o uso das cores, em tons ousados e fortes, quebrando tabus e as cores padrões que eram preto, branco e bege. Porém, com todo o sucesso dos sapatos que foram consagrados por Marilyn Monroe, como o de salto-agulha de metal, sandálias romanas com tiras que amarram, plataformas super coloridas e as sandálias de ouro.

Estudo que baseavam suas criações e inspirações
Estudo que baseavam suas criações e inspirações

O primeiro grande ícone foi criado em 1947, a sandália invisível, que foi produzida em partes do produto com tiras transparentes de náilon.

Esse importante destaque das criações de Salvatore lhe proporcionou o prêmio Neiman Marus, que é uma célebre premiação de moda dos Estados Unidos e que até o momento, nenhum design de sapatos tinha ganhado. Outra criação importante foi feita em 1955, a sandália de Calipso, que foram elaboradas com tiras de cetim pretas.

Vida e morte de Salvatore

Em meados dos anos 1957, o design italiano já tinha desenhado cerca de 20 mil sapatos e patenteados 340 modelos. Infelizmente por vítima do câncer, Salvatore Farragamo morreu no dia 7 de agosto de 1960, mas o sucesso da marca não parou por aí.

A família do estilista continuou com o ateliê, cujo a empresa é mantida até hoje sede da marca, um prédio com estrutura medieval e localizado na Via Tornabuoni, erguido em 1289.

Salvatore Ferragamo
Salvatore Ferragamo

Salvatore foi casado com Wanda e juntos tiveram seis filhos. Tanto a mulher quanto os filhos herdaram do estilista o desejo de perfeição e mantiveram vivo o conceito do artista, continuando com a produção artesanal e reinterpretando os ícones tradicionais, lançando desde os anos 60, linhas de roupas voltadas para o público feminino, produtos feitos de couro e sapatos masculinos.

A partir desse momento, os produtos foram cada vez mais se diversificando. Teve lançamentos de acessórios para mulheres e homens, óculos, perfumes, cosméticos e lenços, que era uma das metas e sonhos do design italiano. Foi durante essa época que ocorreu importantes decisões para a marca com inaugurações de loja em 1995 na Seul, em 1994 na Xangai, em 1991 na Nagoia e em 1986 em Hong Kong.

O crescimento internacional da marca

A empresa cresceu constantemente e adquiriu a requintada marca francesa Emanuel Ungaro, em 1996. E a partir de 1997, gerencia um total de quatro hotéis localizados em Florença e um em Roma.

Suas lojas ganham novas unidades
Suas lojas ganham novas unidades

Três anos depois, a marca abriu a sua primeira loja na América Latina, no México. E alguns anos depois a Salvatore Ferragamo levou novas unidades para o mercado da Índia em 2006 e no Emirados Árabes Unidos em 2009. Ainda nesse mesmo ano, a marca levou o seu comércio eletrônico para o Estados Unidos e Europa e teve uma grande ampliação, sendo contada mais de 500 localizações da marca, que se inclui 19 dessas unidades abertas em aeroportos do mundo todo.

O crescimento da marca não parou por aí. No ano seguinte, os mercados asiáticos também entraram para o time, mais especificamente a China, que contabiliza hoje 91 lojas e que foi um dos principais mercados que revolucionou no faturamento da marca, levando a US$ 1 bilhão.

Suas lojas são verdadeiras atrações
Suas lojas são verdadeiras atrações

Ganhando ainda mais campo no mercado, inaugurou novas unidades em cidades como Johanesburgo, Doha, Cairo e Istambul. Na região brasileira, a luxuosa grife já estava presente desde 1990. O ponto de venda se encontrava no interior da antiga Daslu e logo depois progrediu para coners que foram especialmente personalizados dentro da Daslu. Em 2002, foi inaugurada a primeira unidade própria da marca italiana no shopping Iguatemi, em São Paulo.

A arte de Salvatore Ferragamo

O grande artista foi pioneiro na confecção de modelos de sapatos à mão em grande escala e de perfeita qualidade. E a mão de obra da sua fábrica em Florença, instalada desde 1927 continua trabalhando de forma impecável até os dias atuais.

Cada peça em couro é cortada a mão e o produto passa cinco dias sendo desenvolvido. Hoje em dia, a oficina confecciona cerca de 11 mil de sapatos no dia.

Foto dos moldes famosos do artista
Foto dos moldes famosos do artista

Os sapatos do design são inconfundíveis e quase impossível de encontrar um modelo que não fique perfeito nos pés. Estrelas como Carmem Miranda, Sophia Loren e Audrey Hepburn entram na lista de clientes assíduos da marca.

Outras celebridades como a eterna princesa e a estrela do pop americano Andy Warhol também entram como clientes fiéis da grife. Greta Garbo já chegou a fazer um pedido de 70 pares de uma só vez. Marlene Dietrich tinha uma tradição de nunca repetir mais de duas vezes um mesmo modelo.

As matérias-primas de Salvatore

O seu talento em trabalhar com os mais diversos materiais, além da habilidade e competência técnica e artística, fez com que a Salvatore Farragamo inovasse e consequentemente consagrasse novidades na linha de calçados. Entre as matérias-primas usadas pelo design estão:

Tecido elaborado e pintado à mão

Os modelos de sapatos eram elaborados em tecidos e em seguida levados até uma artista que desenhava sobre os mesmo uma imagem da escolha do usuário, como por exemplo cenas famosas de Roma, Nova York, Paris ou Londres, jogos de cartas, o animal favorito, castelos, árvores e entre outros.

Tecido pintado à mão
Tecido pintado à mão

O efeito sobre o produto era encantador e o preço baixo, levando em conta o alto padrão artístico. Não interessa quão simples era o sapato, as imagens eram o foco principal e transformavam a peça em um modelo exclusivo e único no mundo todo.

Materiais baratos

O estilista buscava os melhores materiais para as suas criações, mas o melhor nem sempre é o mais caro e em consequência da escassez do couro e outros materiais mais superiores, os materiais de baixo custo se tornaram muito comuns no mercado de vestuário e calçados na Segunda Guerra Mundial, em 1953.

E foi nesse momento que Salvatore Ferragamo demonstrou toda a sua habilidade e criatividade em trabalhar os mais variados materiais, criando algumas das suas mais inovadoras e belas obras de arte em forma de sapatos.

Veja essa releitura do Clássico:

A reinvention of the iconic Rainbow sandal, the #RainbowFuture from #FerragamoCreations is a hand-finished platform in veritable wood, crafted in organic crocheted cotton dyed with natural colors and certified by social GOTS (Global Organic Textile Standard criteria), with lining in leather finished with no carbon dioxide emission or water consumption. While taking into account the impact of our actions in the social and environmental sphere, the #RainbowFuture has obtained the ISO 14067 certification, whereby it is now possible to calculate the emissions due to its making and compensate them through reforestation programmes, making it a “carbon neutral” shoe. Through a collaboration with Treedom, one orange tree will be planted for each of the 100 pairs produced, for a total of 100 trees – a precious symbolic gift from Salvatore Ferragamo to its clients. And finally, wrapped in 100% biodegradable cotton bags and 100% recyclable FSC cardboard shoeboxes, no detail has been left behind.

A post shared by Salvatore Ferragamo (@ferragamo) on

Os materiais se variam entre linho bordado, ráfia, fios de malha, algodão, lã, celofane, papel e cortiça.

O Couro

O design utilizava com grande frequência em suas obras o couro, especialmente o de cabra. A pele passava pelo tingimento de uma grande variedade de cores e se misturava com outros materiais como cetim e o couro de lagarto.

Sapato feito em couro
Sapato feito em couro

Eram criados sapatos para serem usados à noite. O couro de boi era, exclusivamente, usado para modelos de inverno e casuais.

Peles exóticas

A demanda por peles exóticas cresceu abundantemente no final dos anos 20. E em algumas criações eram combinadas com instrumentos polidos, imitações de pele de cobra, camurças, cabra, couro de vitela, que se apresenta de forma regular nas inspirações do estilista entre 1920 e 1930.

Peles exóticas faziam parte de suas coleções
Peles exóticas faziam parte de suas coleções

Com o passar da crise após a guerra, os acessórios de peles fina, como lagarto e crocodilo e produtos de luxo voltaram para o mercado. Outras peles como zebra, girafa e jaguatirica foram usadas no final dos anos 50.

Plástico

Cada vez mais material como a resinas de vinil foram usadas para a confecção de acessórios e calçados, solados e saltos, por uma questão de flexibilidade, resistência e diversidade de cores.

Solado transparente, uma verdadeira inovação
Solado transparente, uma verdadeira inovação

Salvatore lançou a grande novidade da sola transparente com a utilização do vinil em 1955.

Escamas de peixe

Em 1920, muitas ferramentas foram buscadas para dar efeitos diversos para as peças. No final desse ano, foi descoberto o “couro do mar”, ou melhor, a “pele de peixe” que foi preparada de maneira cuidadosa devido o seu tamanho, que necessitava de muita habilidade na hora da utilização.

Sapato feito com escama de peixe
Sapato feito com escama de peixe

Salvatore Ferragamo usava a pele de um peixe que foi descoberto nas águas do norte em 1920. Mas com a Segunda Guerra Mundial o sea-leopard desapareceu e só retornou em 1954.

Solas e saltos brilhantes

Desde de 1920, saltos ou solas de aço e bronze foram usados pela grife para desenvolver belos sapatos. Porém, o grande auge e sucesso desse material foi nos anos 50. Cinco anos depois, a Salvatore Ferragamo lançou muitas criações importantes para marca, e uma das que entra nesse quesito é o salto metalizado em muitas cores, coberto com uma lâmina de alumínio.

A segunda se representava como um tipo de gaiola no calcanhar, leve, oca e muito resistente e a terceira era ainda mais elaborada, com um salto em pedras preciosas e raras, podendo ser em metal, prata ou ouro. Mas quando o design foi desafiado a construir o modelo mais caro entre as suas obras, ele criou o solado de metal, uma sandália em ouro 18 quilates.

Palha e ráfia            

A utilização de fibras vegetais e palha na fabricação de sapatos não era exatamente uma grande inovação. Mas antes do design trazer de volta, o material já não tinha tanto uso em 1930. Ao se instalar na cidade, a fábrica de palha, um dos trabalhos mais prósperos de Florença, trouxe a inspiração do uso deste material para a confecção de calçados.

Sapato de palha
Sapato de palha

A preferida do design italiano era ráfia, uma fibra que vinha da folha de uma palmeira do leste africano, que Ferragamo explorava em suas invenções sofisticadas. A novidade foi trazer essa proposta para a trama da parte do dorso do pé, especialmente nas criações de verão.

A palha e a ráfia estavam em falta no ano de 1950. Foram trocadas pelas fibras sintéticas. O estilista beneficiou a dissipação de uma espécie de ráfia sintética, nomeada de “pontovo” e desenvolvida, principalmente, em Bonito, a cidade onde nasceu.

Celofane

Por causa das guerras, as fábricas de vestuário e calçado se viram obrigadas a substituir materiais para a produção dos produtos. E o primeiro e grande desafio do estilista foi descobrir o material perfeito para substituir a pele de cabra.

Sapato de Celofane
Sapato de Celofane

E foi em um domingo de manhã que surgiu uma grande ideia. Lembrou-se que sua mãe adorava chocolates e nesse dia tinha comprado uma caixa deles. E ao abrir os chocolates ficou fascinado com o papel transparente e pensou que acabara de encontrar o material ideal para substituir a pele de cabra.

A partir de então, foi o grande marco da história da marca!

Um talento único

A grande habilidade e criatividade do artista de criar e inovar cada vez mais mudou a história dos calçados, trazendo um enorme sucesso para a marca e para a moda italiana, sendo uma grande referência para inspirações de outros estilistas.

As criações de Ferragamo foram eternizadas por seus herdeiros, mais especificamente Fiamma, que criou e desenvolveu uma série de modelos de sapatos e acessórios que se transformariam nos emblemas mais reconhecidos e importantes da grife.

Herdeiros de Salvatore
Herdeiros de Salvatore

Até os dias atuais, cerca de 90% das confecções dos calçados é artesanal, o que consequentemente faz que não exista mais de um sapato igual. Ao dia, aproximadamente, 30 modelos são produzido por 30 colaboradores.

Cada peça tem em cerca 200 etapas para passar, precisando de, em média, cinco dias para a sua produção.

Conheça mais sobre a história:

O museu Salvatore Ferragamo

O lugar é um espaço privado, que se dedica a contar à história da marca, a vida do artista e empreendedor e todas as suas invenções. Entre elas estão técnicas artesanais inovadoras.

Museu Salvatore
Museu Salvatore

O museu foi inaugurado em 1995 e o espaço foi fundado por iniciativa família Ferragamo, que tinha o objetivo de disponibilizar para todos os clientes, jovens, estudiosos, as habilidades artísticas e o marco que Salvatore deixou no histórico no segmento de calçados.

Em uma das suas pesquisas em relação a anatomia do pé ele criou o “método Ferragamo”, que foi uma técnica revolucionária no mundo do artesanato de calçados.

A localização do museu fica em Florença, na Itália, em um centro histórico da cidade, na Rua Tornabuoni e está instalado no segundo andar do Palácio Spini Feroni. É o lugar que se encontra o “formarino”, um artigo de formas em madeira dos pés mais importantes do mundo cinematográfico.

Seus sapatos vestiram pés famosos
Seus sapatos vestiram pés famosos

No primeiro andar do prédio é possível encontrar a loja Salvatore Ferragamo e pela porta principal encontra-se uma escada que dá o livre acesso ao ilustre museu, que conta de uma maneira única e exclusiva a história da carreira do artista com revistas, livros, patentes, fotografias e madeiras em forma de pés célebres. Conta também uma grande exposição bienal de linhas de sapatos com mais de 10 mil modelos.

O museu documenta o desenvolvimento da extensa trajetória do design desde a sua volta para a Itália até a sua morte (1927 a 1960). Demonstrando a competência artística e técnica do mesmo, desde o desenho até a experimentação dos materiais, que foi importante na construção do conceito “made in Italy” no mundo todo.

Museu em Florença, Itália
Museu em Florença, Itália

Algumas das criações ilustram o contato de outros artistas da época com o mestre Salvatore. Entre eles é possível citar o pintor Lucio Venna, que é autor de quatro criações da marca. Outros modelos demonstram ainda a grande busca pela perfeição do produto no pé e na inovação de materiais, que começou com a sola de cunha de cortiça que foi registrada em 1936 e em seguida copiada por marcas do mundo todo.

Não foi à toa que Ferragamo escolheu Florença para se instalar após sua volta dos Estados Unidos. Questões que contribuíram para essa escolha foi o artesanato ativo, monumentos, seu passado e suas belezas que não representam apenas a Itália, mas o resto do mundo também.

Salvatore mudou a forma de vestir sapatos
Salvatore mudou a forma de vestir sapatos

A cidade é um sinônimo de estilo, elegância italiana e da arte. Para alguém como Salvatore, que queria construir seu império a partir de atividade artística, não poderia ter feito escolha melhor. Por essas questões a cidade que fica na Itália é uma parte importante na cultura da marca, assim como o Palácio Spini Feroni, onde se localiza a sede do museu.

Salvatore Ferragamo no mundo

Nos dias atuais, a grife tem em torno de 662 lojas que estão localizadas em aproximadamente 90 países. Conta com uma grande diversidade produtos, entre eles estão os perfumes masculinos e femininos, relógios, óculos, gravatas, echarpes, bolsas, roupas e claro, os famosos sapatos.

O seu faturamento registrado em 2015 chega a superar €1.4 bilhões. Hoje, a Salvatore Ferragamo é um dos mais importantes impérios da moda italiana. Os sapatos representam 42% dos lucros. Em seguida são os produtos de couro e bolsas com 37%.

Seus sapatos atravessam as gerações
Seus sapatos atravessam as gerações

A região da Ásia-Pacífico tem uma representação mundial de 36.1% das vendas e a Europa com 26.6%, na América do Norte esse percentual é de 23.3% e o Japão responde por 8.9% das vendas da grife.

Os perfumes e todos os outros produtos da marca são “Made in Italy’’ e atravessam o mundo no segmento de 15.000 perfumarias, que vendem Salvatore Ferragamo.

A linha do tempo

  • 1920: Lançamento das sandálias romanas que se amarravam nos tornozelos com tiras.
  • 1938: Foi a vez da Maharani, uma sandália inspirada na princesa Indira Devi, Cooch Behar. O nome dessa criação veio da Índia e significa mulher do marajá. Nesse mesmo ano, a criação Rainbow foi lançada no mercado. Uma sandália entrelaçada em várias camadas, feitas de camurça colorida e foi usada pela atriz Judy Garland.
  • 1948: Inauguração da primeira loja em Nova York, nos Estados Unidos.
  • 1949: Foi lançada no mercado a primeira bolsa da marca.
  • 1955: Foi a vez dos primeiros lenços de seda da marca serem lançados no mercado.
  • 1958: Lançamento da primeira bolsa que apareceu com o nome Gancini, que logo depois se transformaria em uma das marcas registradas da Salvatore Ferragamo.
  • 1965: Foi a vez da primeira coleção de produtos de couro e da primeira linha de roupas femininas a serem lançadas.
  • 1970: Os primeiros sapatos voltados para o público masculino foram lançados.
  • 1978: O Vara, que era um modelo de sapato feminino foi lançado. O produto possuía um bico arredondado e com um laço na parte da frente. Logo se transformaria no sapato mais famoso da grife. Em 2008 foi criada uma versão de sapatilha deste modelo, nomeada de Varina e os dois modelos são vendido até os dias atuais.
  • 1998: Parceria com a Luxttica. Ccom isso surgiu o lançamento da primeira coleção de óculos solares e armações de receituário. Nesse mesmo ano, a criação de um perfume feminino ganhou a atenção da marca, o Salvatore Ferragamo Pour Femme.
  • 2002: Lançamento do Subtil, um perfume masculino.
  • 2003: Lançamento oficial do Incanto, uma fragrância da marca. Foi lançado, neste mesmo ano, os primeiros produtos para o corpo e cosméticos.
  • 2004: Foi realizado o lançamento do Picnic. Uma linha de óculos que teve como referência um memorável par de sapatos que foi criado em 1938, revestido de ráfia bordadas à mão e flores coloridas. Nesse ano também foi feita a introdução da técnica personalizada de confecção de sapatos masculinos sob medida.
  • 2006: O F by Ferragamo foi lançado no mercado, um perfume feminino e a sua versão masculina tinha data prevista para o próximo ano.
  • 2007 o F for Fascinating, um perfume voltado para o público masculino foi lançado. Durante esse mesmo ano, o Preziosi, que significa precioso, foi lançado. Um gama de óculos solares e armações que continham aplicações de pedras semipreciosas em forma de gota nas hastes.
  • 2008: Foi a vez de uma luxuosa coleção de relógios da grife serem lançados. Também lançou um perfume unissex, uma fragrância que é desenvolvida sob forma de produtos para banho, especialmente para quem voa pela Singapore Airlines a partir de 2006. Foi chamado de Tuscan Soul.
  • 2009: Foi a vez do Eco Ferragamo, uma coleção de bolsas que era produzida através de uma técnica de coloração livre de metais poluentes. O couro era pintado com uma tinta derivada da casca de árvores através de um método certificado pelo Instituto Alemão SG. Um grande diferencial desse produto foi que elas eram resistentes a água e biodegradáveis. A grife resolveu revestir as bolsas dessa coleção com cânhamo fiado à mão, pois o material não requer uso de pesticidas e é bem resistente. A coleção compõe cerca de cinco modelos de bolsas, sendo elas nas cores: rosa, amarelo limão e tabaco.
  • 2010: O Attimo foi lançado, um perfume feminino e o nome significa “instante” do italiano. Durante esse mesmo ano o projeto Red Carpet foi construído e lançado. O objetivo da proposta é oferecer aos clientes a oportunidade de personalizar seus sapatos, podendo escolher entre seis modelos desde escarpins a sandálias. São 23 cores de cetim para a clientela escolher e um monograma personalizado. O desenvolvimento desse processo leva em torno de seis semanas.
  • 2012: O Signorina foi lançado, um perfume feminino.
  • 2015: Foi a vez do Emozione, um perfume feminino. ganhar as prateleiras.

Curiosidades da marca

– Foi a Salvatore Ferragamo que registrou a primeira patente, em 1937, de uma criação de moda.

– Quando Madonna viveu Evita no cinema em 1996, um filme de Alan Parker, todos os sapatos usados pela personagem são assinados pela Salvatore Ferragamo.

– Os hotéis de luxo da família são conhecidos como Lungarno Hotels Collection, sendo quatro localizações em Florença e uma em Roma. Na Capital da Itália, o Portrait Suites é o mais novo hotel e sua estrutura interior conta a história do design italiano. Em foco de um público mais jovem e descolado, o Gallery Hotel Art une fotografias e arte no lobby. Com uma vista espetacular para o Rio Arno, o Hotel Lungarno oferece essa bela visão em todos os seus espaços. O hotel que transmite uma sensação de estar em um apartamento florentino é o Lungarno Suites. E para finalizar o Continentale traz a inspiração dos anos 50 para os românticos. Essa coleção ainda compõe uma vila nos arredores da cidade, a Villa Le Rose, que está disponibilizada para alugação e um veleiro que contém quatro suítes e tripulação, localizado na costa da Toscana.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here