Quais são as marcas de luxo de roupas mais vendidas no Brasil?

Capa do post sobre marcas de luxo que mais vendem no Brasil
   

As roupas estão presentes na vida dos seres humanos desde a pré-história, e não tem um propósito de apenas proteger o corpo de altas e baixas temperaturas, mas também podem servem como o reflexo da personalidade de um indivíduo e suas reflexões políticas, sociais e religiosas.

Ao longo dos séculos, milhares de marcas especializadas neste segmento surgiram, começando quase sempre como um pequeno negócio, elas são o fruto de um sonho de pessoas que traduzem seus estilos através de peças de vestuários.

Confira mais sobre a histórias das marcas de luxo de roupas mais vendidas no Brasil!

1. Mixed

A marca Mixed foi fundada por Riccy Souza Aranha em 1988 em São Paulo.

A moda esteve sempre na vida de Riccy e sua família (tanto no quesito de comprar e criar peças), já que a estilista desde pequena acompanhava seu pai e irmãos na fábrica e servia de modelo para a marca da família.

Com mais de 30 anos no mercado, o perfil de consumidora da Mixed é o de uma mulher contemporânea, estilosa e sofisticada, que está, em qualquer momento e em qualquer circunstância, chique desde a manhã até à noite. A marca também busca o reconhecimento pela qualidade de suas peças e é exclusivamente fabricada no Brasil. 

View this post on Instagram

#Mixed #Aw2020 #StayHome #ShopOnline ✨ www.mixed.com.br

A post shared by Mixed (@mixed_brazil) on

 Riccy comanda a empresa ao lado de seus filhos (que entraram pouco a pouco ao longo dos anos) e ocupa o cargo de diretora criativa da marca, e costuma dizer que o segredo para o sucesso é ter personalidades importantes dentro da equipe. 

A estilista é muito devota de Nossa Senhora de Guadalupe, e a santa se tornou uma tradição e marca registrada da Mixed, aparecendo em diversos lugares: de peças em suas coleções à catálogos e desfiles da marca.

Atualmente, a Mixed conta com sua linha principal feminina, infantil (chamada de Mixed Kids comandada por suas filhas Carol e Ciccy), além da Zapalla, marca de seu filho José Eduardo, que foi integrada a empresa há poucos anos como a linha masculina.

A empresa tem como objetivo encontrar o estilo da mulher de todas as idades, de diferentes gerações, personalidades, além de estar sempre atenta nas tendências da moda, desde as mais clássicas e tradicionais até as mais modernas e atuais.

2. Cris Barros

A marca Cris Barros foi fundado por sua homônima em 2002.

Antes de abrir sua marca, Cris já tinha experiência no mundo da moda, foi modelo até os 17 anos de idade e formou-se em desenho de moda pela Universidade Anhembi Morumbi e especializou-se em no ramo fashion ao fazer mestrado no Instituto Marangoni, em Milão. Enquanto estudava na Itália, trabalhou com o estilista francês Stephan Jason, conhecido por ter feito parte da equipe de Yves Saint Laurent.

Após voltar ao Brasil, trabalhou para a Zoomp no time de Renato Kherlakian e trabalhou como como relações públicas de marketing e imagem. O desejo de ter sua própria marca sempre esteve na mente da estilista, mas, por ter uma personalidade paciente e meticulosa, esperou a hora perfeita para realizar.

Foi então em agosto 2002 que Cris Barros finalmente resolveu criar sua marca homônima, depois de passar alguns anos na Zoomp (onde adquiriu conhecimento da visão global do funcionamento de uma marca, como produção, marketing, finanças e lojas) e ter criado peças próprias que vendia para suas amigas próximas.

Cris divide o comando da marca com sua irmã, Dani Verde, e seu cunhado, Luís Felipe Verdi, que embarcaram com a estilista em seu sonho de ter um negócio próprio. Atualmente, cada um comanda uma divisão da empresa, com ela atuando como diretora criativa, participando desde a criação do conceito das coleções (como desenvolvimento das peças, escolha de matéria prima, provas de roupas, lookbooks, etc).

O estilo da marca segundo a própria Cris definiu em uma entrevista para o site Metrópoles é “espontâneo, muito feminino e que está em constante evolução, no sentido de sempre tentar se superar a cada nova coleção.” A estilista diz que trabalha com emoção e paixão e que, quando cria suas peças, quer transportar suas clientes para um universo específico.

Atualmente, a Cris Barros é uma das principais marcas de luxo de roupa feminina no Brasil e se tornou a queridinha das maiores celebridades e nomes da moda nacional. A marca possui uma identidade feminina, moderna e atemporal e se tornou a única brasileira a ter suas peças expostas na icônica loja Colette, localizada em Paris.

3. NK Store

A NK Store foi fundada por Natalie Klein em 1997.

Natalie nasceu na cidade de São Paulo e o gosto pelo mundo da moda e pelo empreendedorismo está em seu sangue, já que vem de uma família de varejistas. Sempre apaixonada pelo assunto e também por arquitetura e design, ao criar sua loja em 1997, não imaginava que seria o grande sucesso que é atualmente.

Ao criar uma loja de multimarcas internacionais, a empresária foi pioneira no ramo. A NK, posteriormente, começou a fazer suas próprias coleções, que possuem um toque cosmopolita em todas as suas peças, além de serem confeccionadas em tecidos e materiais modernos e inovadores, com grande atenção aos detalhes e acabamentos.

Look NK Store

Essa atenção a todo o processo, começa já na hora de produção das peças, tendo como prioridade a qualidade de cada uma, além de todo o carinho com todos os interessados em fazer parte do projeto, com foco tanto em seus consumidores como toda a equipe.

Com a filosofia de “Sentir vai além do que é físico, é a empatia de se colocar no lugar do outro e acolher seus sentimentos”, a NK Store procura garantir a melhor qualidade e experiência para os seus clientes, proporcionando além de beleza o conforto e versatilidade, trazendo segurança e empoderamento na hora de se vestir e perceber que em cada detalhe e em cada toque está a dedicação para a sua criação.

Com 23 anos no mercado, a NK Store já foi eleita por 5 vezes conscecutivas pelo BOF (Business of Fashion) como uma das 500 empresas mais relevantes da indústria da moda. Fazendo assim, como que a marca sempre esteja buscando conhecimento e atualização das tendências.

Atualmente a marca possui uma grande variedade de produtos em suas lojas, além das melhores marcas internacionais, a NK possui sua linha própria, que conta com roupas femininas, sapatos, bolsas e acessórios.

4. Burberry

A Burberry foi fundada em 1856 por Thomas Burberry em Basingstoke, Inglaterra.

Thomas abriu uma pequena loja especializada em roupas para atividades esportivas quando tinha apenas 21 anos de idade. Aprendiz de tecelão, preocupava-se muito com a qualidade de seus produtos e, com menos de 20 anos de história, se tornou muito popular entre os ingleses. Sua loja se tornou um grande empório, onde tinha uma clientela sofisticada e rica.

Sua grande inovação se deu na criação do gabardine, tecido impermeável, respirável e extremamente resistente para dias chuvosos. O tecido virou matéria-prima de guarda-chuvas e indumentária para facilitar a vida de exploradores e esportistas, mas logo caiu no gosto de todos os clientes da Burberry.

Detalhe de roupa Burberry

Em 1891, sob o nome de Thomas Burberry & Sons, a marca abriu sua nova loja na região de West End, em Londres. No ano de 1895, Thomas foi “convocado” pelo exército britânico para desenvolver um casaco para os oficiais, peça que seria antecessora ao Trench Coat. Era o surgimento da famosa capa de chuva, adaptada ao estilo militar.

Em 1914, a empresa foi comissionada pelo escritório de guerra para adaptar o antigo casaco dos oficiais para combate. Sendo assim, adicionaram dragonas para exibir as patentes dos oficiais, a aba sobreposta no peito oferecia maior segurança, enquanto o protetor contra chuva na parte superior das costas garantia que a água não entrasse em contato com o corpo, e ali nascia a versão trench coat que conhecemos hoje, um casaco extremamente quente e resistente, que durante a Primeira Guerra Mundial foi vestido por meio milhão de soldados britânicos, fato que ajudou a aumentar sua popularidade.

Outro fator que fez com que a Burberry ganhasse mais notoriedade foi o fato de que o Rei George V se tornou grande fã da marca, e era visto usando casacos em diferentes ocasiões. Atualmente a marca se configura como uma das mais tradicionais e conhecidas do Reino Unido destaque com suas peças facilmente reconhecidas pelo mundo inteiro.

Trench Coat Burberry

O icônico tecido xadrez (nas cores bege, preto, vermelho e branco) foi introduzido no ano de 1924 e logo foi patenteado, se tornando assim a marca registrada Burberry e passou a ser utilizado em um primeiro momento nos forros dos casacos da marca e, posteriormente, em diversos produtos, desde peças de roupas, à bolsas e acessórios.

Após alguns anos em estagnação (mas ainda de muita tradição e sucesso), Roberto Menichetti (o então diretor criativo da marca britânica) desenvolveu a linha de roupas Burberry Prorsum em 1998, onde criou peças com um preço mais elevado, onde misturou estampas e cores, sobrepôs peças e criou um mix entre o clássico e o novo.

Atualmente sob a direção criativa de Riccardo Tisci, a icônica marca inglesa busca uma aproximação mais moderna e descolada, com peças de roupas que combinem a moda de rua com a sofisticação, elegância e tradição da Burberry.

5. Dolce & Gabbana

A Dolce & Gabbana foi fundada pela dupla Domenico Dolce e Stefano Gabbana em 1985 na Itália.

Domenico e Stefano se conheceram no começo dos anos 1980 enquanto trabalhavam como assistentes do estilista Giorgio Correggiari em Milão. A dupla teve uma visão de como gostariam de vestir as mulheres, então, em 1982, abriram um pequeno ateliê em Milão onde trabalhavam como freelancers para grandes marcas da cidade.

Em 1985 lançaram sua primeira coleção chamada “Donna-Donna” durante a semana de moda de Milão dentro da categoria Novos Talentos. Como não possuíam dinheiro para contratar modelos para desfilarem, foram ajudados por amigos para mostrarem a coleção. O sucesso veio de imediato e a marca se tornou a queridinha da imprensa e ganhou espaço no cenário de moda italiana com suas criações femininas, sexys e com grande influência do sul da Itália.

Em 1987 a marca abriu seu primeiro showroom e conquistou admiradoras famosas, como Madonna e Isabella Rossellini, nomes que os ajudaram a ganhar destaque internacional da noite para o dia. No final da década, a Dolce & Gabbana começou a abrir suas primeiras lojas próprias em Tóquio, Milão e Hong Kong.

No começo da década de 1990, a dupla lançou sua primeira coleção de roupas masculinas e ousaram nos próximos anos ao vestir modelos como Linda Evangelista e Naomi Campbell com roupas desta coleção. A marca italiana, que começou como um negócio apenas de roupas femininas, expandiu sua linha de produtos, abrangendo agora acessórios, calçados e bolsas.

Nos anos 2000, a Dolce & Gabbana reintegrou a produção e a distribuição de lingeries, moda praia e acessórios em tecido (lenços e gravatas), que antes eram licenciados. Outra divisão dentro da marca também foi inaugurada, desta vez a de couros e calçados.

Atualmente, a marca italiana é conhecida por suas estampas coloridas, alegres, divertidas e inovadoras, sempre seguindo sua marca registrada de contemplar as tradições do sul da Itália e possuir roupas com  um estilo extravagantes e luxuoso.

6. Gucci

A marca Gucci foi fundada pelo italiano Guccio Gucci em Florença em 1921.

Depois de trabalhar em Londres como maitrê no Hotel Savoy, retornoy para Florença e abriu sua primeira loja, utilizando todas as economias que conseguira guardar enquanto trabalhava na capital britânica.

Inicialmente, o italiano vendia acessórios de viagens (malas e valises de alto padrão), sempre feitos em couro de alta qualidade que vinham da região de Toscana, confeccionados pelos melhores artesãos da cidade, incluindo membros de sua própria família. Sua modesta loja era um reflexo de seu próprio estilo: elegante e impecável, e não demorou muito para que chamasse a atenção da alta burguesia e nobreza florentina.

Com o grande sucesso, a Gucci ultrapassou as fronteiras da cidade e se posicionou como uma das marcas mais conhecidas e preferidas da elite italiana. Assim que suas vendas cresceram, Guccio pode abrir uma pequena oficina para começar a confeccionar seus próprios produtos. Alguns anos mais tarde, em 1937, a maca inaugurou uma fábrica maior em Lungarno Guicciardini.

Moletom Gucci

O sucesso da marca italiana era enorme em todo o mundo e suas bolsas, artigos de viagens, acessórios e sapatos eram objeto de desejo de milhares de pessoas. A primeira coleção e roupas no entanto foi lançada apenas em 1961, quando foram introduzidos os tecidos estampados com a estampa clássica GG entrelaçados e com estampa floral (que foi criada especialmente para Grace Kelly).

A primeira coleção prêt-à-porter foi lançada na década de 1980 com grande pompa nos mais importantes desfiles de moda. A empresa foi salva da deterioração quando Domenico Del Sole elegeu Tom Ford como diretor criativo da marca. O estilista americano criou coleções e campanhas publicitárias cheias de sensualidade que foram bem aceitas pela imprensa e público.

Moletom Gucci Etiqueta Única

Com a entrada de Alessandro Michele  no cargo de diretor criativo da Gucci em 2015, a marca ganhou um visual mais jovem e suas linhas de roupa ganharam grande destaque com estampas inovadoras que se tornaram características, como a de tigre, a abelha e a icônica frase “Blind for Love”, além de influências das décadas passadas como estampas geométricas, superfícies metalizadas e cores da estética vintage. Alessandro conquistou de vez a geração millennial, tornando a Gucci uma das marcas mais populares do momento. 

Todas as marcas possuem histórias incríveis e de grande sucesso, além de possuírem estilos completamente diferentes. Já conhecia a história de alguma? Qual a sua preferida? Nos contem nos comentários!

No Etiqueta Única você encontra as principais marcas de luxo de roupas mais vendidas do Brasil com os descontos de até 90% de desconto!

   

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here