Marcas de Luxo e seu comprometimento com a sustentabilidade

   

Um dos assuntos mais em alta dos últimos anos, a sustentabilidade vai muito além do cuidado com o meio ambiente, se tratando também do nosso estilo de vida e de nossas escolhas e ações como consumidores.

A indústria têxtil é uma das mais poluentes e maior impacto ambiental que existe, tendo uma estimativa de resíduos têxteis de 175 mil toneladas ao ano apenas no Brasil, onde apenas 36 mil toneladas são reaproveitadas segundo dados da ABIT.

Por isso, nos últimos tempos, inúmeras marcas de moda, principalmente no setor de luxo, vêm anunciando ações e medidas que pretendem tomar para garantir que sua produção tenha uma natureza mais sustentável e que tenha menor impacto no ambiente.

Confiram mais sobre as ações que marcas de luxo estão tomando para se tornarem mais sustentáveis:

Conglomerado Capri Holdings

O conglomerado de luxo Capri Holdings foi o mais recente a anunciar suas medidas de comprometimento de se tornar mais sustentável. O grupo anunciou no dia 21 de Abril o comprometimento em zerar sua emissão de carbono em seu relatório de responsabilidade social.

A medida engloba todas as marcas do grupo, que inclui grandes nomes, como Versace, Jimmy Choo e Michael Kors, e tem como meta se tornar 100% carbon free até 2025, além de outras medidas para diminuir seu impacto no meio ambiente. Outras metas também foram anunciadas, como o comprometimento de usar energias renováveis, utilizar apenas embalagens que sejam feitas de plástico reciclável, compostável, reciclado ou reutilizável. O conglomerado também está comprometido a trabalhar com curtumes que sejam certificados.

Mostrando também preocupação com as mulheres, a Capri Holdings também anunciou que sua rede de fornecedores devem ser fortalecidas com programas  de empoderamento e saúde da mulher no ambiente de trabalho das Nações Unidas (chamado “UN Framework for Corporate Action on Workplace Women’s Health and Empowerment”), além de abrir espaço para novas parcerias que diminuam o gasto de água e que preze para a inclusão e diversidade em todos os setores.

Bolsa Versace Etiqueta Única

No comunicado, John D. Idol, CEO e chairman do Capri Holdings Group disse:

“Reconhecemos que, com o crescimento de nossa companhia, crescem também nossas responsabilidades, e abraçamos a oportunidade de fazer mais. Acreditamos que políticas ambientais e sociais são eticamente corretas e fiscalmente responsáveis. Com este objetivo, estamos comprometidos a melhorar a forma como trabalhamos para melhorar o mundo em que vivemos.”

Gucci

A Gucci foi uma das pioneiras em anunciar medidas rumo a sustentabilidade. Em Setembro de 2019, a marca italiana anunciou que iria se tornar carbon neutral e iria compensar todas suas emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) de suas próprias operações e de toda sua cadeia de suprimentos.

Esta medida acompanha o apoio da marca à projetos de conservação florestal em países em desenvolvimento por meio de uma iniciativa internacional chamada REDD+ ( (Reduzir as Emissões do Desmatamento e da Degradação florestal), desenvolvida pela UNFCCC (Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima).

Mostrando estar seriamente comprometida com a causa, a Gucci mediu todas as suas emissões de carbono do ano de 2018 e as compensou, e, quando foi anunciado ano passado que a se tornaria carbon free, a marca italiana começou a medir suas emissões daquele ano a fim de serem compensadas no ano de 2020.

Bolsa Gucci Soho

Durante o anúncio deste comprometimento com o meio ambiente, Marco Bizzarri, presidente e CEO da Gucci, disse:

“É uma estratégia clara para garantir que nos responsabilizamos por nossas emissões de GEE, e agimos para evitá-las, reduzi-las e restaurá-las, e então compensar as inevitáveis.”

Stella McCartney

A marca inglesa Stella McCartney desde sua fundação é conhecida por suas políticas sustentáveis, como o uso uso exclusivo de couro ecológico em suas peças e utilização de algodão 100% orgânico como base para todos seus jeans. Em sua missão de mostrar para indústria da moda que ela pode ser sustentável, a marca apresentou em Janeiro de 2020 em sua coleção Pre-Fall o primeiro jeans stretch biodegradável do mundo.

O material usado na peça foi uma parceria com a marca italiana Candiani, que é responsável pelo desenvolvimento da tecnologia Coreva Stretch, um tecido de fibras de algodão orgânico que encapam o núcleo de borracha natural, não havendo qualquer plástico ou microplástico em sua trama.

O jeans desenvolvido pela Candiani abre mão de duas técnicas de tingimento que reduzem o consumo de água, energia e produtos químicos que geralmente são usados durante o processo de lavagem da peça, substituindo-os por Kitotex Vegetal, um ingrediente biodegradável que é produzido a partir de algas marinhas e cogumelos.

“Em um mundo em que nossos recursos estão diminuindo e os lixões estão superlotados de roupas descartadas, é nosso dever pesquisar fontes renováveis, além de materiais biodegradáveis e compostáveis”, disse Alberto Candiani, dono da Candiani.

Engana-se quem pensou que o material seria apenas utilizado na coleção Pre-Fall, a estilista Stella McCartney o incorporou em diversas peças de sua coleção Outono/Inverno 2020, que foi apresentada na Semana de Moda de Paris em Fevereiro deste ano.

Inúmeras marcas de luxo estão tomando diferentes medidas, mas todas contém um único objetivo: diminuir seu impacto ambiental e se comprometer a ter um futuro mais sustentável.

Já tinha conhecimento de alguma dessas ações? Nos contem nos comentários!

   

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here