Conheça a Repetto, grife francesa responsável pela criação das sapatilhas para balé

   

A Repetto é a mais tradicional e conhecida marca de itens especializados para ballet. Foi criada em 1947, na França, e atualmente é mundialmente famosa por suas sapatilhas, que não são mais usadas apenas nos palcos de dança, mas também nas ruas, e fazem enorme sucesso.

Com o passar dos anos, a marca cresceu imensamente e suas sapatilhas se tornaram uma marca registrada das mulheres francesas. Eventualmente, a Repetto acabou caindo no gosto de estrelas como Brigitte Bardot e Audrey Hepburn, o que trouxe ainda mais reconhecimento e respeitabilidade aos seus produtos.  

Confira a seguir a história de como surgiu a Repetto.

Da Ópera de Paris para o mundo

A Repetto foi idealizada em 1947 por Madame Rose Repetto, mãe do primeiro bailarino da Ópera de Paris, Roland Petit.

Madame Rose Repetto
Madame Rose Repetto

O primeiro par de sapatilhas (ballerines) da Repetto foi confeccionado a pedidos de Roland, que era bailarino e coreógrafo e sofria com dores nos pés após seus treinos devido ao desconforto dos calçados que usava. Rose Repetto era costureira e possuía um pequeno ateliê, que ficava localizado próximo da Ópera de Paris, onde seu filho trabalhava.

O resultado da dedicação e obstinação de Madame Repetto resolveu os problemas de Roland que, satisfeito e entusiasmado com o conforto das peças, decidiu mostrá-las aos seus colegas de Ópera. Logo, diversos outros bailarinos também se interessaram e passaram a fazer encomendas para a sua mãe.

A primeira boutique Repetto
A primeira boutique Repetto

As sapatilhas de Rose Repetto eram feitas à mão, usando o seu método de confecção “cousu retourne”, ou costura invertida, em tradução para o português. Trata-se de um processo único de fabricação, desenvolvido por ela mesma, que consiste em costurar a sola de dentro para fora. Essa técnica oferece uma flexibilidade incomparável e muito mais conforto aos pés.

Foi assim que nasceu a marca Repetto, que viria a ser mundialmente conhecida, popularizando o método utilizado por Rose Repetto. A partir de então, seu ateliê passou a fabricar sapatilhas sob medida e de acordo com as exigências de seus clientes.

Célebres influências

Em 1956, um acontecimento surpreendente marcou a história da Repetto, quando a jovem atriz francesa Brigitte Bardot pessoalmente encomendou à Madame Repetto uma ballerine que ela pudesse usar em seu dia a dia.

Brigitte Bardot usando repetto
Brigitte Bardot usando repetto

Dessa forma foram criadas as ballerines Cendrillon Repetto, em homenagem à Bardot, que não só nunca mais deixou de usá-las como também colocou-as em destaque ao vesti-las durante as gravações do filme “E Deus Criou a Mulher”, lançado naquele mesmo ano. Veja um trecho do filme:

Quer propaganda melhor que essa?! Isso contribuiu imensamente com o crescimento do número das encomendas da marca, que a partir de então passou a fazer um enorme sucesso.

Dez anos depois do início das suas atividades, em 1957, Rose Repetto por fim lançou comercialmente as sapatilhas que conhecemos hoje, inspiradas pela forma das sapatilhas de ballet e adaptadas para serem usadas pelas mulheres em seu cotidiano.

Com o aumento da popularidade das peças confeccionadas, foi inaugurada em 1959 a primeira loja de Madame Repetto, localizada na Rue de La Paix, em Paris, ao lado da Ópera Garnier. Esse endereço passou a ser o ponto de encontro das maiores estrelas do mundo de dança na época, como Béjart, Noureev, Baryshnikov, Carolyn Carlson, le Kirov e as meninas do Folies Bergerès, que se tornaram clientes fiéis da artesã.

Na década de 70, foi a vez do músico e ator Serge Gainsbourg se encantar pelos calçados, enfeitiçado pelo modelo Zizi. A partir de então, tornou-se o embaixador da marca, não tirando o seu Repetto dos pés e levando o charme da Repetto por toda a Europa.

Nova era

Em 1999, a Repetto foi comprada pelo empresário Jean Marc Gaucher, em um momento de declínio da marca. Gaucher a partir de então passou a dedicar-se a reconstruir a história da Repetto, com o intuito de recuperá-la, sem se desligar de sua história, de seus ícones e de sua ligação com a dança.

Com essa nova administração, a Repetto ingressou em uma nova era, que levou a marca para um momento de uma nova visão de negócio, caracterizado pela expansão de suas lojas e por uma maior modernidade na sua forma de gerenciamento.

Maison Repetto
Maison Repetto

Sob a direção de Gaucher, a Repetto passou a estabelecer parcerias, antes mesmo disso se tornar uma febre dentro do mundo da moda. A primeira parceria foi com o designer japonês Issey Miyake, em 2000, seguida de outras colaborações, feitas com o estilista Yohji Yamamoto, com a marca Comme des Garçons e com o designer de moda alemão Karl Lagerfeld.

Issey Miyake
Issey Miyake

O enorme sucesso que a marca possui em países orientais como Japão e Coréia talvez seja o principal motivo para tantas parcerias com estilistas e marcas japonesas. Mais recentemente, um sapato foi desenvolvido em parceria com a estilista grega Mary Katrantzou, para a marca francesa Colette.  

Em 2005, a Repetto celebrou o milionésimo par de sapatilhas produzidas usando a técnica “cousu retourne”, desenvolvida por Madame Repetto. Na mesma época, foi formada uma parceria entre a marca e a “Université Technologique de Compiègne” para desenvolver um sapato de ballet “revolucionário”.

Repetto fazendo escola

O alinhamento e a preocupação com a educação não parou por aí.

Em 2011, Jean-Marc abriu uma escola das artes e ofícios em Paris para ensinar os métodos de manufatura das sapatilhas e das bolsas da marca. Essa seria uma forma de ajudar a atenuar o problema de desemprego de pessoas jovens na França. Todos os alunos são contratados pela marca posteriormente ou se tornam professores no local.

A marca possui compromisso social
A marca possui compromisso social

Posteriormente, a escola passou a incluir também mão de obra a ser especializada para outras marcas, até que em 2014 deu lugar a uma grande escola, liderada por algumas marcas de luxo, como a Hermès, que já participava do projeto anteriormente.

Essa iniciativa busca passar técnicas artesanais para frente, beneficiando tanto as empresas, que precisam dessa mão de obra especializada, quanto os jovens franceses, que têm a oportunidade de encontrar um novo nicho de trabalho ao qual se dedicar.  

Atualmente, a marca produz cerca de 500 mil pares anualmente, e todas as sapatilhas de ballet e os sapatos são feitos por artesãos nas oficinas localizadas na cidade francesa de Saint Medard d’Excideuil.

É possível visitar o acervo desse espaço, que foi criado em 2012, e ver de perto os tutus assinados, os moldes dos pés dos grandes bailarinos e as peças icônicas da marca.  

A Repetto mantém sua sede no mesmo endereço, na Rue de La Paix, em Paris, e adaptou o know-how de Madame Repetto às exigências do século 21. Seus artesãos são responsáveis pelo acabamento final, fazendo uso de técnicas exclusivas de montagem dos produtos, que são todos feitos em série limitada, seja de cor, material ou modelo.

O modelo Cendrillon é um dos mais vendidos da marca
O modelo Cendrillon é um dos mais vendidos da marca

A Cendrillon, por exemplo, é feita em 15 etapas, incluindo a construção da sola, a costura da haste e seu retorno.

Classe e exclusividade

A Repetto é uma marca que tem a dança como uma das suas principais inspirações e tradições. Porém a difusão do nome Repetto alcançou tamanhas proporções que conquistou clientes que se tornaram fãs da marca, mesmo sem serem dançarinas.

Famosas são fãs do conforto proporcionado pela marca
Famosas são fãs do conforto proporcionado pela marca

Mesmo assim, ainda hoje é essa arte que move o espírito e a personalidade da marca, que busca entregar às suas clientes a feminilidade, a liberdade, o movimento, a elegância, o charme e o ritmo inerentes à dança, sendo suas compradoras bailarinas ou não.

Segundo Gaucher, “o universo do balé fala com qualquer mulher”, e isso é importante porque para o público feminino não basta que o calçado seja apenas bonito.

Essa atitude e atmosfera são refletidas em seus produtos, que combinam modernidade, perfeição e elegância, responsáveis pelo sucesso mundial alcançado pela Repetto.

A tendência lançada por Bardot se tornou uma moda atemporal, e até hoje é comum ver as sapatilhas da marca nos pés de estrelas da moda, da música e do cinema. O modelo Cendrillon, por exemplo, é o queridinho de artistas contemporâneas como Angelina Jolie e Sofia Copolla.

A marca ainda trabalha produzindo e comercializando artigos para dança, assim como uma linha de roupas, bolsas, carteiras e até perfume. Recentemente, a Repetto lançou também uma linha de prêt-à-porter.

A marca traz modernidade e sofisticação aos pés
A marca traz modernidade e sofisticação aos pés

Desde 2010, a marca francesa oferece aos seus clientes a possibilidade de criar sapatilhas personalizadas. É possível escolher desde o couro, se é envernizado ou não, adicionar pequenos detalhes e até mesmo personalizar a peça com suas iniciais ou com o próprio nome escrito na palmilha. Luxo exclusivo! Esse tipo de calçado custa a partir de 195 euros.

Uma curiosidade da marca é o fato de não se preocupar em investir em celebridades badaladas e amplamente reconhecidas mundialmente para fazer suas campanhas de publicidade.

O que colocamos na frente de tudo é a conexão com a dança”, explicou Gaucher em entrevista à Lilian Pacce. Por isso são sempre dançarinas que ilustram as propagandas da Repetto, como um ato sincero de fidelidade às suas origens.

Repetto no Brasil

Antes mesmo de chegar aos Estados Unidos, a Repetto inaugurou em 2013 uma loja própria no Brasil, a sua primeira em um continente americano. Que honra!

A loja fica no segundo andar do shopping Cidade Jardim, em São Paulo, e segue os padrões das boutiques da grife na Europa.

Loja oficial da marca
Loja oficial da marca

A unidade oferece as conhecidas sapatilhas da marca, bem como suas bolsas, acessórios e as opções para dançarinas(os) profissionais, além também de outros estilos de sapatos, sem sair, é claro, das referências do ballet, como modelos mary janes, oxfords e sleepers. Entre a grande diversidade de opções, há modelos que variam entre R$ 700 e R$ 2000.

Na época, houve também o lançamento de um par feito especialmente para o primeiro endereço da label na América Latina. A peça era feita em tressê, e foi disponibilizada nas cores preto e rosa, com apenas 10 exemplares de cada tom. O item estava à venda por R$ 1.392.

A loja chama a atenção pela diversidade de modelos oferecidos
A loja chama a atenção pela diversidade de modelos oferecidos

Foi promovido um coquetel para convidados no dia da inauguração, que contou também com uma apresentação especial do grupo de balé Cisne Negro, a qual 5% das vendas foram revertidas para a ONG Dança para Todos, que é uma iniciativa que beneficia jovens bailarinos com bolsas de estudo.

Isso muito se assemelha à instituição Danse Pour La Vie, na França, que é dedicada a bailarinos iniciantes e recebe também o apoio da Repetto.

   

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here