Baile da Vogue 2019, a festa que encerra o carnaval

Baile da Vogue com artistas e famosos
Baile da Vogue com artistas e famosos
   

O Baile da Vogue há 15 anos encerra o Carnaval. A festa reúne os fashionistas, celebridades e artistas e foi realizado no último sábado, dia 23 de fevereiro e foi um palco para todo mundo brilhar.

Com o tema Opera D’Oro, a festa tinha decoração temática dedicada ao teatro e foi apresentada por Sabrina Sato e Glória Maria e aconteceu no Hotel Unique em São Paulo.

Gif de uma festa em Great GatsbyO Baile recebeu nomes fashionistas e famosos para exaltar culturas diversas já representadas pela arte dramática com produções poderosas e looks deslumbrantes com estilo black tie.

Volumes, bordados, brilho e muito dourado foram vistos na 15ª edição do Baile da Vogue. Muitos looks foram extremamente pensados e com significado. Confira alguns deles abaixo!

Sabrina Sato, vida e amor através das cores

A cada edição do baile, Sabrina Sato e uma das grandes expectativas da noite e a apresentadora sempre atrai todos os olhares. Esse ano não foi diferente com a escolha de Pedro Sales, seus stylist.

O escolhido foi um vestido volumoso de Tomo Koizumi, estilista que foi reconhecido recentemente em desfile na última semana de moda. “Imediatamente decidi que a Sabrina tinha que usar um de seus looks para o Baile da Vogue”, conta o stylist que ficou obcecado por seu trabalho.

Sabrina Sato com o colorido vestido de Tomo Koizumi
Sabrina Sato com o colorido vestido de Tomo Koizumi

“Os tons do vestido a complementam perfeitamente pois ela tem uma energia fortíssima.Sabrina me parece uma mulher forte e doce ao mesmo tempo, e é a mulher perfeita para usar minhas criações e minha marca” comentou Tomo em entrevista a revista vogue.

O vestido da apresentadora celebra a vida, e o amor através das cores. O modelo volumoso e bastante colorido foi feito todo em organza franzida.

A peça pesa mais de sete quilos e foi feito inteiramente a mão. Com mais de cento e cinquenta metros de organza, a peça demorou mais de uma semana para ficar pronta e só sua saia tem mais de dois metros de diâmetro.

Zeze Motta homenageando seus ancestrais

O vestido foi feito exclusivamente para a atriz e cantora pela grife Dona Jandira. Zeze Motta escolheu um look da terra de Chica da Silva, escrava posteriormente alforriada que viveu em Minas Gerais durante a segunda metade do século XVIII para 15ª edição do Baile.

Aos 74 anos, Zezé é um ícone da cultura negra no país, e filha de Oxum, deusa do ouro e da fertilidade, que ela também escolheu homenagear pela cor de seu vestido.

Zeze Motta com vestido feito exclusivamente em tons de dourado para a cantora e atriz.
Zeze Motta com vestido feito exclusivamente em tons de dourado para a cantora e atriz.

“Queria que a minha roupa fosse do interior, de gente como a gente”, afirma Zeze Motta.

Aline Weber e a preocupação com o meio ambiente

A modelo brasileira Aline Weber já é conhecida por seu histórico na luta em prol das causas ambientais. Engajada nas redes sociais em ações sociais que chamam atenção para poluição dos rios do povo do Xingu e o uso de agrotóxicos nas plantações de soja do Mato Grosso, além de  ter sido promotora de uma petição contra o desmatamento da Amazônia durante a semana de moda de Nova York, Aline quis endossar o seu comprometimento com o meio ambiente por meio da moda.

A modelo escolheu um vestido 100% sustentável assinado pela estilista mineira Fabiana Milazzo, feito usando a técnica de upcycling. A designer Fabiana utilizou pequenos pedaços de tecidos que seriam descartados e fez um novo tecido a partir deles. O vestido faz parte do projeto “Renovarte” que tem como intenção diminuir os impactos ambientais pelo descarte de tecido.

Aline Weber com o vestido feito por Fabiana Milazzo
Aline Weber com o vestido feito por Fabiana Milazzo

A modelo usou o vestido por acreditar na oportunidade de chamar atenção para consciência na moda, onde somos responsáveis por tudo que esta a nossa volta e pela preservação do meio ambiente.

Fluvia Lacerda como Carmen

Uma das modelos mais conhecidas no mundo Plus Size, Fluvia Lacerda entrou em sintonia com o tema do Baile. Flavia se vestiu de Carmen, personagem-título da obra que estreou em Paris em 1875. De caráter transgressor, a protagonista é uma cigana que seduz o soldado José, que chega a se separar de sua namorada (apesar de Carmen desistir de ficar com ele e trocá-lo pelo toureiro Escamillo).

Fluvia Lacerda em vestido feito pela marca Fethie
Fluvia Lacerda em vestido feito pela marca Fethie

O modelo ombro a ombro todo bordado em renda foi feito pela marca Fethie. Flavia disse que estava se sentindo belíssima e realmente estava!

A cor da Opera D’Oro: O Dourado

A cor que deu o tom do baile foi o dourado e estava presente nos vestidos, nos enfeites, acessórios e decoração da festa.

Em modelo longos e cheios de brilho, a cor foi eleita pelas famosas que queriam brilhar!

Gloria Maria, Lolita Hannud e a chef Camila Botelho de Flayza Vieira
Gloria Maria, Lolita Hannud e a chef Camila Botelho de Flayza Vieira
Negra Li de Raquel de Queiroz, Fernanda Motta de Iorane e Fernanda Motta de Iorane
Negra Li de Raquel de Queiroz, Fernanda Motta de Iorane e Fernanda Motta de Iorane

All Black

A cor coringa e que vai bem com tudo, esteve em vestidos cheios de brilho, babados e bordados.

Mariana Ximenes, Valentina Sampaio de Rosa Chá e Pathy Dejesus de Lethicia Bronstein
Mariana Ximenes, Valentina Sampaio de Rosa Chá e Pathy Dejesus de Lethicia Bronstein

Os acessórios de cabeça

Um acessório sempre presente na festa é o enfeite de cabeça. Nesse ano, os enfeites ganharam versões para combinar com os vestidos em tom de dourado e algumas mais inusitadas, criando um contraponto e chamando bastante atenção.

Suzi Pires, Isabeli Fontana e Larissa Manoela entraram para grupo das mais discretas que combinaram o enfeite com o brilho e detalhes do vestido.

Suzi Pires de Iorane, Isabeli Fontana de Colcci e Larissa Manoela.
Suzi Pires de Iorane, Isabeli Fontana de Colcci e Larissa Manoela.

Já Celso Kamura, Marina Nery e Alix de Ligne foram mais ousados e autênticos, com enfeites que chamavam atenção e iam além do vestido e outros acessórios.

Celso Kamura, Marina Nery de Carolina Herrera e Alix de Ligne de H.Stern
Celso Kamura, Marina Nery de Carolina Herrera e Alix de Ligne de H.Stern

A moda masculina no Baile

Se engana quem acha que os homens não ousaram nas escolhas para a festa.

Tons fortes e muito brilho se fizeram presentes, além de detalhes em penas e muito bordado.

Jason Campbell de Rober Dognani e Dudu Bertolini de Amapô
Jason Campbell de Rober Dognani e Dudu Bertolini de Amapô
Nino di Primo de Black Tie e jóias Marco Apollonio e Gabriel Gontijo de Patrícia Bonaldi
Nino di Primo de Black Tie e jóias Marco Apollonio e Gabriel Gontijo de Patrícia Bonaldi

Caio Braz, apresentador da GNT usou como referência Billy Porter, ator, músico e apresentador que usou no Oscars 2019 um look parecido com saia em paletó feito por Christian Siriano.

Caio Braz com paletó Alexandre Won e saia Walério Araújo
Caio Braz com paletó Alexandre Won e saia Walério Araújo

A Polêmica com Donata Meirelles

Em seu aniversário de 50 anos, Donata Meirelles, diretora de estilo da Vogue Brasil, recebeu diversas críticas e acusações de racismo nas redes sociais.

A polêmica surgiu após a diretora divulgar em seu Instagram, fotos da festa de comemoração no Palácio da Aclamação de Salvador, ao lado de família e amigos, na sexta feira no dia 8 de março.

Na quarta feira feira, 13 de março, após repercussão internacional negativa da festa, ela renunciou ao cargo na revista.

“Com tristeza no coração, mas com a coragem e a cabeça erguida que sempre pautaram a minha vida, inicio um novo ciclo e peço demissão da Vogue Brasil, uma publicação que ajudei a construir”, escreveu Donata, em sua carta de despedida.

Com o ocorrido, o Baile da Vogue foi adiado. Em nota, a Vogue comentou o caso “Com o objetivo de transformar o Baile da Vogue numa plataforma de inclusão no universo da moda, a Vogue entende que precisa de tempo hábil para implementar acoes importantes e garantir que o baile seja efetivamente um marco deste novo momento”. O Baile da Vogue 2019 esse ano encerrou o carnaval.

A saída de Donata, que tinha o cargo de diretora-executiva da Vogue Brasil, abriu espaço para a discussão sobre racismo que começou quando na ocasião da festa, mulheres negras, que faziam parte da equipe do evento, estavam vestidas com roupas e turbantes brancos.

Em algumas fotos, Donata e convidados posaram em uma cadeira ao centro. A prática foi considerada preconceituosa por uma representação de “mucamas” ao lado de um “trono de sinhá”. No Facebook, Instagram e Twitter, usuários se manifestaram contra a postura da aniversariante.

Foto de Donata na comemoração do seu aniversário de 50 anos ao lado de duas baianas.
Foto de Donata na comemoração do seu aniversário de 50 anos ao lado de duas baianas.

Após o ocorrido, Donata pediu desculpas também em seu Instagram, mas a situação havia tomado grande proporção em todas as redes sociais. 

Antes mesmo da saída de Donata Meirelles, a Vogue Brasil se posicionou. Em nota publicada no Instagram no dia 12 de fevereiro, a revista explicou a decisão de criar um fórum com especialistas e ativistas para definir conteúdos que combatam desigualdades raciais.

Com a internet e a rapidez que as informações se espalham, é preciso ter cuidado e sensibilidade com o conteúdo compartilhado.

 

 

   

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here