Minha Sacola

Sua sacola está vazia

Pesquisar

Todos
  • Todos
  • Bolsas
  • Sapatos
  • Roupas
  • Acessórios

LOUIS VUITTON

História da marca: A Louis Vuitton foi fundada em 1845. Vuitton, originalmente, fabricava baús de viagem para as mulheres da alta sociedade. Estes baús foram projetados para serem empilhados um sobre o outro, uma novidade naquele momento, visto que os baús naquela época tinham cantos superiores arredondados para escorrer a água. Para evitar imitação da ideia de Vuitton, ele projetou um padrão listrado marrom e bege, que evoluiu para o Damier. O Monogram foi introduzido em 1896, um design engenhoso para impedir o crescimento de falsificações. Ironicamente, Louis Vuitton é uma das marcas mais falsificadas até o presente momento

Tipos de couro:

A Louis Vuitton utiliza inúmeros couros que variam de vachetta para os exóticos.
Abaixo se encontram os mais comumente utilizados:

Monograma -
Introduzido em 1896, o Monogram clássico é do Vuitton por excelência. Se caracteriza por quatro ornamentações emblemáticas, o LV entrelaçado em itálico, uma flor de lis, uma flor de lis invertida e o quatrefoil. Até os dias de hoje, este é o couro mais procurado na Vuitton. Embora, o que é visto atualmente não é o monograma original de 1896, é a atualização que foi feita em 1959.
De forma diagonal, ele deverá sempre seguir esta sequência: LV, flor de lis, uma flor de lis invertida e o quatrefoil, LV.


Multicolore -
Introduzido em 2003, é uma versão atualizada do Monograma projetado por Takashi Murakami, caracterizando um fundo preto ou branco com as ornamentações coloridas em 33 tons diferentes.

Damier -
Introduzido em 1888, ainda antes do monograma, o Damier foi o primeiro padrão que Louis Vuitton já liberou para substituir as faixas marrom e bege. Hoje, o mais conhecido como Ebene se caracterizou por xadrez marrom e bege escuro, que remete a um tabuleiro de xadrez. As mais recentes iterações, Damier Graphite e Azur, foram introduzidas em 2008. O Damier Graphite caracteriza-se pelo xadrez preto e cinza, enquanto que o Azur caracteriza-se por xadrez branco e cinza claro.

Epi -
Introduzido em 1985, o couro Epi trouxe a textura para a seleção de couro da Louis Vuitton. Apresentando o couro como uma pincelada, o Epi é uma das opções mais conquistadas nas ofertas variadas da Vuitton.

Taïga -
Introduzido em 1993, o couro Taiga foi uma das primeiras ofertas de Marc Jacobs, como o então, diretor de criação da Vuitton. Também outro couro texturizado, é caracterizado pelo tracejado fino, o qual é gravado no couro.

O Etiqueta Única se depara com inúmeras bolsas clássicas desenhadas por estilistas, e cada peça passa por uma verificação rigorosa de autenticidade. Durante anos de treinamento e experiência de primeira mão, desenvolvemos uma visão incessante e crítica para detalhes. Há sete elementos principais para a verificação de autenticidade da Upteam: o logotipo, o acessório, o forro, as junções e correções, a costura, o acabamento e os apetrechos que acompanham a peça, tais como a caixa, os documentos, saco de pó e etc.

Logotipo

Louis Vuitton passou um século aprimorando suas técnicas, o que explicaria o esforço realizado por eles no logotipo: sempre perfeitamente posicionado, desobstruído e claramente impresso. Diferentemente do LV entrelaçado em itálico na serifa clássica, que esteve em circulação por 125 anos e ainda está, o nome Louis Vuitton fino, amplamente utilizado e nítido dentro da bolsa.
Estes são os seguintes critérios para procurar na inscrição/ estampa:

Á 4 partes no logotipo LV estampado, e sempre virão em 4 linhas (exceções a serem discutidas mais adiante):

• O símbolo da marca registrada (o R incluído em um círculo)

> Sempre nítido, não deverá estar borrado.

> Apesar de seu tamanho pequeno, o R deverá ser claramente visto.

• LOUIS VUITTON

> O fim do L deverá ser pequeno.

> As letras O deverão estar perfeitamente redondas e mais amplas que o L.

> As letras T consecutivas em "Vuitton" deverão estar tão próximas que elas aparentam tocar-se ou quase tocarem-se, mas, na realidade nunca não se tocam. No entanto, isso depende de onde elas vêm.

> Todas as letras devem estar em maiúsculo.

• PARIS

> Sempre verifique se a inscrição corresponde.

>Todas as letras também devem estar em maiúsculo.

• Feito na França/ EUA/ Itália/ Espanha.

> Não há nenhum caso onde todas as letras estejam em maiúscula.

> Nas bolsas antes de 1991, todas as letras estarão em minúsculas.

- O tipo de fonte é fino. Em termos tipográficos, nunca está em negrito ou itálico.

- A ortografia sempre estará correta. Sob nenhuma circunstância, Louis Vuitton deverá estar escrito erroneamente.

- Sempre estará alinhado no centro. Alinhamento perfeito é primordial.

- Pode haver outras marcações, dependendo da raridade da bolsa.

- Deverá aparecer somente uma vez. Uma exceção seria a linha Inventeur da Louis Vuitton, onde uma placa gravada em ouro aparece fora da bolsa, com os dizeres:

“DEPOSE EN FRANCE ET A L'ETRANGER”

> Sempre estaria em um tipo de fonte SERIFA

> Todas as letras devem estar em maiúsculo

> As letras D, F, À e E serão ligeiramente maiores que o restante das letras

> Os acentos sempre deverão estar corretos

> Menores em comparação com outros textos

> Será sempre claramente gravado

> Não deverá apresentar pausas, somente uma linha contínua

• LOUIS VUITTON

> Sempre estará em um tipo de fonte SERIFA

> L e VUITTON estarão em um tamanho maior que OUIS

> Deverá ser a maior parte do texto

• INVENTEUR

> Será ligeiramente menor que o nome Louis Vuitton

> A ortografia sempre estará correta.

• 101, avenue des Champs-Elysées, PARIS

> Estará em itálico

> Seguirá o caso conforme tipo de fonte acima.

> A ortografia e as marcas diacríticas deverão ser precisos e corretos.

• Notas:

> Os rebites que cercam a placa serão gravados com LOUIS VUITTON em letras MAIÚSCULAS.

- Haverá alguns casos onde a estampa dirá apenas LOUIS VUITTON PARIS ou LOUIS VUITTON MALLE-TIER. Eles irão aparecer nas bolsas feitas nos EUA. Apenas certifique-se de que os códigos de data correspondem.

- Deverá ser apresentado um determinado destaque em quão nítida é a estampagem a quente: o couro estampará muito claramente, ao contrário do couro sintético ou vinil de má qualidade que os falsificadores utilizam, resultando no derretimento.

- Estará estampado no interior da bolsa. No entanto, em outros casos, como a City Bag, haverá uma peça de couro costurada, visto que essas bolsas não irão conter peças de couro no interior a serem estampadas

• Nestes casos, onde se trata da costura, raramente será visto pespontos, a menos que não haja uma maneira de escondê-los no design.

Acessório

O acessório legítimo é difícil de imitar, e também muito caro. Ao olhar para o acessório, observe o seguinte:

  • Quando impresso, a impressão deverá ser clara e precisa, e nunca borrada ou torta. Acesse o site da Louis Vuitton para observar se deverá haver gravação no acessório de um modelo específico.
  • Há sempre um peso determinado para ele, até mesmo os zíperes.
  • Deverá estar em metal. A diferença entre metal e plástico é evidente.
  • O acessório é sempre banhado a bronze: nada deverá cair ou descascar e, com pouco tempo, deverá apresentar sinais de oxidação. Não ficará brilhante para sempre, a menos que for limpo regularmente (deverá sempre ser feito por profissionais).
  • Os zíperes têm um determinado peso para ele. Os zíperes exteriores deverão sempre corresponder aos zíperes interiores. Os modelos dos anos de 1980 não terão os zíperes gravados, mas mostrará o fabricante do zíper, tais como a YKK ou Eclair.
  • O acessório sempre será específico para aquela bolsa. As proporções nunca estarão incorretas. Por exemplo, o Anel D em uma Speedy 25 nunca se encaixará em uma Trevi GM e vice-versa. O acessório deverá sempre encaixar-se perfeitamente ao couro que será unido. Nunca será grande ou pequeno demais.
  • Por outro lado, o couro será perfeitamente cortado para acomodar o tamanho do acessório necessário para a bolsa específica.
  • Quando for impresso, deverá estar uniforme e claro. Somente funcionará nos metais de alta quali- dade que a Vuitton utiliza. Os metais e plásticos de qualidade inferior que os falsificadores utilizam irão derreter.

Forro

A Louis Vuitton nunca utiliza revestimento de camurça. Somente utiliza-se couro, algodão, microfibra ou tecidos.

  • As bolsas da linha Monograma sempre terão um revestimento de algodão marrom. No entanto, em alguns casos, como a Manhattan, Viva Cite, Trouville, Noe, bolsas de cosméticos, mala e nécessaires, haverá um forro diferente.
  • As bolsas Damier Ebene terão um forro vermelho de Alcântara. Já nos modelos mais antigos, serão mostrados um forro marrom claro de Alcântara. Portanto, verifique a época da bolsa.
  • A Neverfulls sempre tem o forro listrado de algodão, caracterizando-se por linhas verticais, quatre- foils, flor de lis e o logotipo em letra cursiva da Louis Vuitton.
  • As bolsas Vernis e Empreinte irão caracterizar-se por um forro de tecido em uma cor similar à exterior.
  • A Multicolore preta terá o forro cinza de Alcântara, enquanto que a Multicolore branca mostrará o forro vermelho em Alcântara.

Junções e Etiquetas

  • As junções ou costuras sempre são um grande sinal da qualidade: nada colado, firmemente apertado e sempre perfeito. Certifique-se de que há costuras onde deveria haver costuras e vice-versa.

    > Por exemplo, uma Speedy nunca deverá ter uma costura central na parte inferior, a menos que seja colaboração de Sofia Coppola. Uma Neverfull terá uma costura base em formato oblongo.

  • As etiquetas onde "Louis Vuitton Feito na FRANÇA" é gravado, por outro lado, são um pouco delicadas. Via de regra, a maioria das bolsas Vuitton não têm etiquetas externas. A etiqueta interna ocorre em alguns modelos da Vuitton, tais como a Babylone.
  • Os logotipos muito raramente serão cortados, como na Agenda e a Dog Carrier.
  • O Monograma sempre será simétrico:

    > Por exemplo, na parte principal do zíper da Speedy, o monograma será cortado na flor de lis. No lado esquerdo do zíper deverá ter uma metade de uma flor de lis, e no lado direito deverá ter a outra metade. Sempre terminará onde começou. O mesmo acontece no sentido horizontal.

    > O mesmo acontece no sentido diagonal: caso começar em um quatrefoil, esse sempre terminará no quatrefoil.

    > O espaçamento entre LV e as outras partes do monograma sempre serão iguais e simétricas. O LV entrelaçado em itálico sempre estará centralizado.

Costura

  • Louis Vuitton orgulha-se pela qualidade de suas mercadorias de couro, e não economiza na costura. Portanto, é de se esperar a costura perfeita em qualquer ponto da bolsa. Eles deverão ser sempre uniformemente espaçados e limpos. Tudo o que estiver abaixo disso não é Vuitton.
  • Há algumas discussões sobre a quantidade de costuras que estarão nas separações das alças. Alguns dizem que são 5 costuras em volta, alguns dizem de outra maneira. Isso tudo depende do modelo da bolsa. Na Alma, são 5 costuras em volta, mas na Speedy serão 5 no topo, 4 descendo diagonalmente para a esquerda, 5 diagonalmente para a direita, 5 diagonalmente subindo para a direita e 4 diagonalmente sub- indo para a esquerda. Atente-se nisso de forma aguçada, pois geralmente este nível de dedicação é falho nas falsificações.
  • Assim como a cor do fio, caso seja de uma linha Monograma, essa deverá ser amarelo mostarda emblemático. Para o restante, deverá ser tonal.
  • Sempre estará lateralmente subindo em direção a um ângulo de 45 graus.
  • Para as alças, deverá ser uma linha mais escura com poucos milímetros abaixo das costuras reais, a qual se trata da linha de costura que os trabalhadores seguem.
  • A Louis Vuitton não economizará na costura e tudo será reforçado onde for necessário, mas você nunca irá observar costura dupla em uma Vuitton.

Acabamento

  • Somente uma palavra pode descrever o acabamento em qualquer mercadoria de couro autêntico da Vuitton: impecável. Ao olhar para a Vuitton autêntica, mesmo confeccionada por mãos humanas propensas a erro, você deverá esperar nada menos que perfeição.
  • Nunca haverá um buraco aumentado na costura: o aperto será suficiente apenas para que ele se posi- cione bem no couro, sem nunca puxar.
  • A Vuitton orgulha-se pela alta qualidade dos materiais que eles utilizam. Isso é mostrado, principal- mente, na gravação das bolsas. Em virtude de elas serem estampadas a quente, resultarão em uma estampagem nítida nos próprios materiais, ao contrário das falsificações que utilizam materiais mais baratos, que irão derreter na estampagem a quente.

Outros

  • Caixa

    > A própria caixa deverá ser confeccionada a partir de um papelão pesado para carregar o conteúdo.

    > Os cantos e pontas não deverão ter traços de cola visíveis.

    > A marca Louis Vuitton é impressa e está sempre posicionada no centro.

    > Deverá ter um furo pequeno na caixa para permitir que o ar entre.

  • Saco de Pó

    > O saco de pó deverá ser um tecido grosso e ligeiramente amarelo-pálido

    > O logotipo é centralizado;

    > Deverá haver uma identificação dentro com os dizeres "100% Algodão, Feito na Índia".

    > Os modelos de 2003 e os anteriores acompanharão um saco de pó marrom claro com um "LV" impresso no centro.

  • Cadeado e Chave

    > Ambos serão banhados a bronze e deverão ser da mesma cor conforme o restante dos acessórios;

    > Deverá haver um "LV" gravado na frente do cadeado com os dizeres "LOUIS VUITTON PARIS FEITO NA FRANÇA" na parte de trás;

    > Deverá haver um número do cadeado gravado na parte inferior ao lado da entrada da chave;

    > A chave deverá encaixar corretmente no cadeado.

  • Porta-chaves

    > Deverá corresponder ao material das alças.

    > Deverá encaixar sua chave confortavelmente

    > A Vuitton nunca anexará uma amostra de tecido da bolsa, na bolsa.

    > Deverá caracterizar a mesma estampa que estiver no interior.

  • Identificadores de Nome

    > Deverão ser estampados da mesma maneira que estiver estampado no interior.

    > Deverão corresponder ao material das alças.

    > Os furos têm os mesmos espaços e tamanhos.

    > A costura deverá parar logo antes da parte arredondada do identificador.

  • Documentação

    > As bolsas Vuitton NUNCA acompanham cartão de autenticidade. O cartão pequeno que declara o material de sua bolsa e seu próprio nome francês virá em um envelope pequeno posicionado dentro da mala.

    > Somente os itens Monogram Cerises, Vernis e Multicolore acompanharão um manual de cuidados.

  • Nota Fiscal

    > É a mesmo em todo o mundo.

    > O documento é o mesmo amarelo ligeiramente pálido, como no saco de pó, e tem uma ranhura vertical, que também é perceptível quando você passa seus dedos.

    > O documento é menor que uma folha A4 e é sempre dobrado ao meio.

    > Na parte inferior esquerda trata-se do local da compra com o nome e endereço do consumidor.

Detalhes importantes adicionais

  • As peças Multicolore deverão caracterizar TODAS AS 33 cores na ordem correta, a menos que a di- mensão da bolsa não permita fazê-lo. Sempre estão nesta ordem:

    > Branco: (a) fúcsia, preto, verde, (b) amarelo escuro, rosa escuro, roxo escuro, (c) azul escuro, verde- limão, azul claro

    > Preto: (a) fúcsia, branco, preto, verde, (b) amarelo escuro, rosa escuro, roxo escuro, (c) azul escuro, verde-limão, azul claro

  • O LV entrelaçado em itálico deverá vir em 9 cores e as outras ornamentações vêm em outras 24.
  • As alças da bolsa serão quase sempre em couro bovino vachetta.

Código de datas de como lê-los

  • Códigos do País:

    > Quaisquer combinações de letras não inclusas na lista abaixo não existem.

    > Feito na França: AO, A1, A2, AA, AAS, AH, AN, AR, AS, BA, BJ, BU, DR, DU, CO, CT, ET, FL, LW, MB, Ml, NO, RA, Rl, SD, SF, SL, SN, SP, SR, TJ, TH, TR, TS, VI, VX

    > Feito na Itália: BC, BO, CE, FO, MA, RC, RE, SA, TD > Feito na Espanha: CA, Gl, LO, LB, LM, LW

    > Feito nos EUA: FC, FH, FL, LA, OS, SD

    > Feito na Suíça: Dl, FA

    > Feito na Alemanha: LP

  • Lendo os Códigos de Data:

    > Isso pode lhe ajudar a saber de onde sua mala veio e onde ela foi feita. Pode lhe ajudar a autenticar a bolsa, correspondendo o código da data com o modelo da bolsa.

    > Antes dos anos de 1980

- Códigos da data foram introduzidos após os anos de 1980.

Antes disso, a Vuitton apenas utilizava a estampa "Louis Vuitton". > Anos entre 1980 e 1990

- Números YYM: por exemplo, 821 = janeiro de 1982.

- 4 números YYMM: por exemplo, 8312 = dezembro de 1983

- 2 letras 3 números CC YYM: por exemplo, TH 863 = França, março de 1986

- 3 números 2 letras YYM CC: por exemplo: 865 TH = maio de 1986 França

- 2 letras 4 números CC YYMM: por exemplo, TH 8812 = França, dezembro de 1988 - 4 números 2 letras YYMM CC: por exemplo, 8910 TH = outubro de 1989 França

> Anos de 1990

- 2 letras 4 números CC MYMY: por exemplo, TH 1920 é dezembro de 1990

> 2007 - até o presente

- 2 letras 4 números CC WYWY: por exemplo, TH 3077 é a 37o semana de 2007

Revelando Mitos

Há alguns mitos que cercam o império Louis Vuitton, principalmente em relação a suas mercadorias em couro. Gostaríamos de desmistificar alguns deles.

  • O logotipo entrelaçado em itálico nunca será cortado. FALSO. Compreendemos o cuidado que a Louis Vuitton toma ao exibir seu logotipo, mas geralmente a viabilidade ficará no caminho de seus designs. Uma novíssima Agenda comprada da loja Vuitton em Paris apresentará um LV entrelaçado cortado em itálico, devido a suas dimensões. Isso não a faz menos autêntica. Outros exemplos onde o LV entrelaçado em itálico serão cortados estão em algumas Speedys antigas, Carrier de Chien e Ellipse.
  • O logotipo LV entrelaçado em itálico nunca estará invertido. FALSO. Em alguns modelos, tais como Pap- illon, Speedy e Keepall, haverá um lado com monograma invertido. Isto se deve ao fato de ser feito de uma peça contínua de couro sem costura na parte inferior.
  • As ornamentações serão sempre simétricas a partir de qualquer direção. FALSO. Embora isso seja ver- dadeiro em 99% das bolsas Louis Vuitton, caracterizando o monograma, haverá exceções. Tais como as bolsas confeccionadas pela empresa americana The French Luggage Company, de 1972 a 1992 (a Louis Vuitton terceirizou a produção, e ainda a faz para atender a demanda crescente de forma exponencial). Al- gumas bolsas desta época não terão ornamentações simétricas.
  • TODAS as bolsas Louis Vuitton têm códigos de data. FALSO. A Louis Vuitton não tinha tal ferramenta de organização até depois dos anos de 1980. Atualmente, a Louis Vuitton cria bolsas tão frequentemente que os códigos de datas refletem a semana que elas foram confeccionadas.
  • É recebido um cartão de autenticidade Louis Vuitton mediante a compra. FALSO. A Louis Vuitton nunca fornece cartões de autenticidade, nem mesmo eles irão autenticar qualquer bolsa.
  • A Louis Vuitton é apenas vendida em lojas da Louis Vuitton. VERDADEIRO, Mas nos anos de 1980 até meados de 1980, a The French Company e Saks Fifth Avenue foram capazes de garantir uma licença para vender Louis Vuitton. Era uma identificação de náilon que dizia "LV" LOUIS VUITTON PARIS" no centro, e "MEDIANTE LICENÇA ESPECIAL PARA A FRENCH CO. FABRICADA NOS EUA". Caso o item fosse confeccionado para a Saks Fifth Avenue, você receberia uma etiqueta que dizia "SAKS FIFTH AVENUE".
  • A Speedys nunca terá costuras em sua base. VERDADEIRO, Mas... a Speedys, confeccionadas por e para a The French Company, têm costuras centrais na base. O mesmo ocorreu naquelas em colaboração de Sofia Coppola.
  • A pátina nas alças não corresponde à época da bolsa. É falsa? FALSO. Pode ter sido consertada. Mas a qualidade do concerto deverá estar nos mesmos padrões Vuitton.
  • As ornamentações em meu monograma não estão na sequência correta. É falsa? VERDADEIRO. Os monogramas sempre seguirão as mesmas sequências. Visualizado em horizontal, essa deverá ser LV, flor de lis invertida, LV e, então, flor de lis, flor de lis, flor de lis, e então, quatrefoil, flor de lis invertida, quatre- foil. Visualizado em vertical, essa deverá ser flor de lis, flor de lis, flor de lis, e então, LV, flor de lis, LV, quat- refoil, flor de lis invertida, quatrefoil, e então flor de lis, flor de lis, flor de lis. Diagonalmente, essa deverá ser flor de lis, flor de lis invertida, flor de lis e então, quatrefoil, flor de lis, LV, flor de lis. E assim por diante.